Vale-alimentação dos trabalhadores do transporte coletivo deve ser liberado sexta ou no máximo sábado

Foto: Júlio Castellain

R$ 770 mil. Esse é o valor que o Consórcio Siga tem em caixa com a venda de créditos antecipados e foi apresentado na reunião desta quinta-feira, 7, entre a Justiça do Trabalho, Ministério Público do Trabalho, representantes do consórcio e das três empresas, do Sindetranscol e da Prefeitura. Foi o primeiro encontro depois da decisão judicial que encaminhou o fim da greve depois de 13 dias, isso no dia 30 de dezembro.

O valor é insuficiente para pagar o décimo-terceiro salário, atrasado desde 15 de dezembro, e o salário de dezembro, que era para ser pago nesta semana, mas  suficiente para pagar o vale-alimentação de R$ 580 para todos os trabalhadores, que deveria ter entrado no dia 2 de janeiro.

E isso será feito. Foi enviado uma notificação para a Blucredi, que detém a conta do Siga, transferir o valor para a personal card, com prazo de até 24 horas.

Agora será preciso definir o cronograma dos outros pagamentos, como o salário de dezembro e o décimo-terceiro salário. Uma reunião na próxima segunda-feira entre a direção do Sindetranscol e a procuradora do Ministério Público do Trabalho vai definir as prioridades de pagamento e sua periodiocidade.

Na reunião, o advogado do Consórcio Siga e da Empresa Nossa Senhora da Glória, Antônio Marchiori, chegou a levantar a possibilidade da Prefeitura antecipar o reajuste da nova tarifa ( prevista para valer a partir de fevereiro) e evitar a caducidade do Consórcio e das empresas. Como não era o foco das discussões, o assunto não foi levado em conta.

Foto: Júlio Castellain
Foto: Júlio Castellain

1 Comentário

  1. Advogado do consorcio levantou a possibilidade de antecipação do reajuste da nova tarifa pela Prefeitura ? Proposta indecorosa , querer utilizar-se de algo que sequer foi aprovado . Quando não se tem saída , qualquer “buraco” serve de salvação.

Deixe uma resposta