Nada de CPI do transporte coletivo

Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau

Depois de quatro sessões, a Mesa Diretora apresentou o parecer jurídico sobre o requerimento que pedia uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a situação do transporte coletivo de Blumenau. E é claro, sepultou a possibilidade de CPI, com o entendimento de que o requerimento foi recebido pelo presidente Mário Hildebrandt (PSB) e não despachado. Sendo assim, o pedido de retirada de assinatura do vereador Becker (sem partido) pode ser aceito, visto que foi anexado ao documento original proposto por Ivan Naatz (PDT).

Como precisava de cinco assinaturas, a CPI morre na casca, apesar da gravidade e das muitas dúvidas sobre o assunto.

Interessante que o parecer foi lido apenas ao fim da sessão, quando já estava no parlamento o assessor e quase uma espécie de articulador do prefeito Napoleão Bernardes (PSDB) na casa, Éder Boron. Lembrando que foi depois de uma conversa com Éder que o Becker mudou de opinião e retirou a assinatura que garantia a criação da CPI que preocupa tanto a administração municipal.

Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau
Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau

1 Comentário

  1. Decisão da mesa diretora é prato requentado, a Câmara de vereadores de Blumenau é uma sub prefeitura, são 11 marionetes do prefeito . O Ministério Público deveria investigar qual o motivo que o Prefeito e a mesa diretora não querem um CPI no transporte público . Como já citado, existe uma caixa preta que muitos não querem que seja aberta, pode prejudicar as eleições de 2016 . Esperamos que todos os eleitores do vereador Becker lembrem que o que ele assina não tem valor , imagina o que ele fala .

Deixe uma resposta