Deputado Ivan Naatz é acusado de injúria racial

PS: A manchete foi atualizada. Originalmente escrevi crime de racismo e fui corrigido, que a denuncia referia-se a injúria racial, injúria movida pelo preconceito.  

O assessor parlamentar do deputado Ivan Naatz (PV), Fábio Aristides Lima dos Passos, de 25 anos, registrou o boletim de ocorrência na 1ª DP de Florianópolis na última segunda-feira, 20.

Refere-se a um fato que teria acontecido no dia 8 de maio, no gabinete do deputado, que recebia o colega deputado Sargento Lima (PSL). Segundo o denunciante, ao apresentar os funcionários que trabalhavam no local, teria feito uma piada racista.

“Sabe por que este preto trabalha no meu gabinete? E porque se algo der “merda” a culpa é dele”, teria dito em tom de brincadeira Naatz, fato que, segundo o relato, foi acompanhado por outros assessores.

Ofendido, dias depois, Fábio dos Santos procurou o chefe de Gabinete para relatar o incômodo, momento que teria ouvido que “é preciso engolir”. Pelo jeito, não engoliu e registrou o boletim de ocorrência.

A Comissão de Igualdade Racial da OAB de Santa Catarina recebeu a denúncia. O coordenador, o advogado blumenauense Marco Antonio André diz que “é preciso aguardar o desenrolar dos fatos, tendo em vista que todos tem direito a defesa e o contraditório. Mas precisamos sempre combater o racismo em todas as esferas,”

Conversei via whatsapp com o Ivan, que retorna de uma viagem aos EUA, representando a Alesc como presidente da Comissão de Turismo e Meio Ambiente. Falou que sua posição foi colocada nas suas redes sociais.

“Minha vida política sempre foi pautada pela luta dos menos favorecidos, buscando sempre a justiça igualitária.

Fui surpreendido pela notícia de que um dos nossos mais brilhantes colaboradores, por quem sempre tive um enorme carinho e respeito, assim como tenho por toda a equipe que me ajuda, fez um BO com a suposta agressão racial.

É MENTIRA.

É importante ressaltar que todos são livres para buscar seus direitos, mas dentro dos limites legais.

Em tempos de Fake News e linchamentos virtuais, a quem queira atenção a todo custo, e com apoio de setores ainda atrasados da nossa sociedade.

Sou um homem liberal, democrático e defensor de todas as liberdades individuais, respeitando credos, gêneros e raças. Quem me conhece sabe disso.

Mais do que surpreso, estou decepcionado, mas de consciência tranquila de que a verdade sempre triunfa.”

No privado, comigo, Ivan usou um de seus bordões, “Você me conhece” e fez alguns relatos.

E preciso dizer que conheço sim o Ivan. Racista ele não é, longe disso.

O que não quer dizer que não possa ter tido uma manifestação racista, que é de se lamentar, mas não crucificar.

Mas temos duas versões, por enquanto,

Falei com a assessoria do deputado Sargento Lima (PSL), testemunha chave neste episódio. Falou que o deputado estava em um evento em Joinville, desconhece o BO e está a disposição para conversar, mas só na segunda-feira, no horário de expediente e no telefone fixo da Assembleia Legislativa.

 

 

 

1 Comentário

  1. O deputado tem um assessor de cor negra, isto já mostra que não é racista . Vamos aguardar a defesa , penso ser prematuro acusar .

Deixe uma resposta