A divisão do PSL em Santa Catarina

Até o começo do ano passado, o PSL era um partido nanico, insignificante. Nem era o partido de Jair Bolsonaro e nem sonhava com a projeção de agora. Em Santa Catarina, fez barba, cabelo e bigode na última eleição.  Deu a segunda maior votação proporcional a Bolsonaro, elegeu um governador até então desconhecido, seis deputados estaduais e quatro federais.

Uma pessoa decisiva para construir o partido em Santa Catarina foi Lucas Esmeraldino, dentista e ex-vereador em Tubarão. Assumiu a presidência da sigla em março do ano passado, lançou-se candidato ao Senado e por muito pouco não ficou com uma das vagas. Obteve mais de um milhão de votos.

Hoje ocupa a Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável do governo Carlos Moisés.

Mas agora o partido cresceu e sua liderança está sendo contestada. Nesta quarta-feira, 09, três dos quatro deputados federais eleitos pelo PSL fizeram um documento para o presidente nacional do partido, Luciano Bivar, pedindo a destituição da Executiva estadual, presidida por Lucas Esmeraldino.

” Os parlamentares discordam veementemente da forma como foi “definida” a nova executiva estadual do PSL. No apagar das luzes de 2018, sem critérios, sem diálogo e de forma personalista. Os nomes foram escolhidos pelo presidente estadual da sigla, de forma unilateral.”

Noutro trecho, o documento diz: “Ademais, o atual presidente estadual do PSL assumiu uma Secretaria importante no novo governo estadual e dificilmente conseguirá dedicar o tempo que a administração do partido merece e necessita neste momento tão delicado de transição política no Estado e no país.”

E o grupo já sugere os nomes para a nova Executiva Estadual, com os três deputados federais – Caroline de Toni, Coronel Armando e Daniel Freitas – nos cargos chaves, presidência, vice-presidência e secretário geral.

Imediatamente, o grupo dos seis deputados estaduais eleitos pelo PSL, além do federal Fábio Schiochet, divulgaram outro documento de apoio a Lucas Esmeraldino. Ricardo Alba, inclusive, esteve nesta  quarta-feira com Esmeraldino num encontro sobre turismo, com o presidente do Parque Vila Germânica, Ricardo Stodieck, e com o CEO do Beto Carrero Wold.

O documento parabeniza o presidente estadual “…pelo extraordinário trabalho de condução do partido em SC, sendo peça chave para para a vitoriosa eleição ocorrida em SC.”

Todos dois manifestos foram parar na mesa do presidente nacional Luciano Bivar. Caberá a ele deliberar.

O poder é o poder. Quem gostaria de entrar na canoa do PSL há uma ano, dois anos? Hoje, no Governo Federal e de Santa Catarina, com bancadas expressivas na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa, a fogueira das vaidades se acende.

Leia aqui na íntegra os textos dos dois grupos.

1 Comentário

  1. Lá dizia o velho Victor Lasky: na política não há amigos, mas, sim, CONSPIRADORES que se unem!

    Nóis vai dar mais uma defenestradazinha nuceis tudo nas próximas eleição, meus kyrydu!

    Alcino Carrancho

    (O Profeta Sorridente)

Deixe uma resposta