Ministro do Turismo será convocado pelo Senado para explicação sobre candidaturas-laranja

Convocação

A Comissão de Transparência, Fiscalização e Controle do Senado vai ouvir o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, sobre candidaturas-laranja nas eleições. O requerimento foi aprovado nesta terça-feira, 8, em reunião da comissão.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) solicitou a convocação do ministro do Turismo para prestar informações sobre a prisão, pela Polícia Federal, de seu assessor especial, Mateus Von Rondon; do membro do PSL e coordenador da campanha do ministro, Roberto Silva Soares; e do ex-assessor, Haissander Souza de Paula; em razão de denúncias de uso de candidaturas-laranja para desvio de recursos eleitorais.

Randolfe destacou a falta de compromisso e desrespeito do ministro com a comissão, pois mesmo se dispondo a comparecer nas audiências em que foi convidado, não apareceu. Com isso, o senador ressalta a importância da convocação – e não convite – para que o ministro preste os devidos esclarecimentos. O senador destaca ainda que com os acontecimentos jamais seria admitido que ele continuasse como ministro do Turismo.

“Se torna urgente a presença do atual ministro de Turismo pois as explicações sobre os procedimentos dele, sobre os acontecimentos na campanha eleitoral do PSL em Minas Gerais, sobre a atividade dele no Ministério do Turismo, são da conta e dos interesses da nação e é obrigação desta comissão pedir os esclarecimentos necessários”, disse o senador.

A comissão prevê que a audiência aconteça na terça-feira, 22, por ser uma data acordada com a assessoria do Ministério do Turismo. A data pode ser alterada, porque de acordo com o regimento interno tem um prazo de 30 dias para que o ministro preste os seus esclarecimentos.

“Laranjal”

O PSL enfrenta desde fevereiro deste ano denúncias sobre essas candidaturas-laranja.

A partir de então, um ministro caiu, ataques internos aconteceram e o presidente do partido, Luciano Bivar, está cada vez mais desgastado.

Nesta terça-feira, 8, o presidente Bolsonaro disse a um apoiador para esquecer o PSLe afirmou que o presidente da sigla, o deputado Luciano Bivar (PE), “está queimado pra caramba” e vai “queimar o seu filme também”.

Uma ala do PSL decidiu reagir à fala do presidente Bolsonaro e lançou um manifesto sobre a importância do partido nas eleições de 2018. O texto ainda inclui apoio ao presidente da sigla.

Bolsonaro dá sinais de que pode deixar o partido.

Queda de braço

A queda de braço dentro do partido se dá por duas alas: a de apoiadores fiéis a Bolsonaro e a de um grupo de dirigentes que sustentam Bivar no comando da legenda.

No centro da disputa, o comando e a verba milionário do partido.

Com informações: Senado, G1 e Folha

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta