Um momento de cidadania, com pauta difusa

Alexandre Gonçalves

jornalista

 

Antes de nada, para quem possa ter alguma dúvida, #foraTemer. O homem das sombras da política nacional não poderia nem ter assumido o Governo.

Escrito isso, preciso dizer que vejo como muito positivo esta mobilização de parte da população em torno dos motoristas de caminhão, que começaram com pautas específicas, de interesse da categoria. Povo que vai para as ruas cobrar direitos é povo mais cidadão.

Mas temo pelas nuances que estão nas entrelinhas dos atuais protestos. E pelo momento.

O país perdeu o “timing” para tirar o presidente que deveria ter sido afastado no mesmo momento que sua companheira de chapa foi, há dois anos. Agora, faltando menos de cinco meses para as eleições, oportunidade soberana de mudarmos a política da melhor forma que podemos fazer, através do voto, a renúncia de um presidente da República, como querem muitos manifestantes, é contra-produtiva.

Por várias razões, em especial, atrapalhar o calendário democrático do país e dar luz a manifestações que pedem o retorno de um passado que deve ficar apenas na memória, para que não se repita nunca mais.

Nesta segunda-feira, ouvi na rádio Nereu Ramos, a entrevista com uma das lideranças do movimento em Indaial, conhecida como “Magrão”.

“Queremos tirar Temer corrupto do poder”, disse, defendendo a intervenção militar ao ser questionado pelo colega Jorge Theiss sobre o que colocar no lugar do presidente. “..o ideal seria ele renunciar e as forças armadas assumir…a intervenção militar é o caminho, então não tem mais negociação..É pelo povo, que está clamando por isso”, resume.

É a fala que inflama um movimento legítimo de reivindicação de uma categoria, mas com interesses internos diversos, alguns nebulosos.

Que não podem fazer o Brasil de refém.

Foto: Belmiro Avancini

1 Comentário

  1. Mais uma obra de gilmar mendes quanto do processo no tse que não o fez com a alegação de excesso de provas.

Deixe uma resposta