Coordenador do Sintraseb fala na tribuna da Câmara e cobra vereadores e prefeito de Blumenau

Foto: Lucas Prudêncio/CMB

Como já escrevi, a ida dos servidores da Prefeitura de Blumenau em greve tem caráter político, de marcar posição e usar o espaço para reverberar a causa dos servidores públicos municipais. O movimento não é consenso nem entre a categoria, imagina no Legislativo, com ampla maioria dos parlamentares, que são base da administração Mário Hildebrandt (sem partido).

E foi assim que um grupo de mais de cem servidores dirigiu-se ao parlamento. Parte ficou de fora, outra lotou o o plenário, a espera da fala do coordenador do Sintraseb, Sérgio Bernardo, na Tribuna Livre da sessão desta quinta-feira, 06.

“Viemos cobrar postura dos vereadores frente a posição do Governo…”, destacando que a reposição anual da inflação está prevista em lei municipal e que cabe aos parlamentares a fiscalização do cumprimento.

“Ao contrário do que diz o prefeito, que afirma que não há lei que o obriga a realizar a revisão em maio, a Lei Complementar 498 que trata da revisão anual dos salários dos servidores municipais, incluindo os das autarquias e fundações, assegura esse direito”, afirmou, referindo-se a entrevistas do prefeito Mário Hildebrandt (sem partido)  nesta quarta-feira.

Sérgio Bernardo falou em má gestão dos recursos públicos e que os servidores não podem ser prejudicados.

Assinalou ainda que os municípios vizinhos, como Indaial, Gaspar, Ilhota e Itajaí já garantiram a reposição pelo INPC aos seus servidores e questionou o por quê de Blumenau se negar a cumprir a legislação.

E fez um pedido aos vereadores.

“Não pretendemos ferir a autonomia do poder Legislativo, mas vocês podem por fim a essa grave. Sugerimos que tranquem a pauta e não aprovem mais nada até que o Executivo cumpra a Lei”.

O que vocês acham que aconteceu? Nada.

Ou melhor, a Câmara aprovou uma comissão de cinco vereadores para tentar intermediar uma negociação entre os servidores e a Prefeitura.

E quase todos vereadores, de formas diferentes, manifestaram apoio a causa, daquele jeito que conhecemos.

Por mais que a Prefeitura negue, eu aposto na negociação. Vai acontecer, mais cedo ou mais tarde, nem que seja mínima. É assim que acontece, ano após ano.

Na queda de braço, no meio, uma parte da população atingida pela greve parcial.

Nesta sexta-feira, 07 de Junho, a concentração dos servidores acontecerá na praça da Prefeitura, a partir das 9h. No mesmo horário, acontecerá reunião extraordinária de representantes por local de Trabalho, no auditório do Sintraseb.

1 Comentário

  1. A maioria é subserviente ao prefeito , só vão fazer aquilo que o patrão ordenar .

Deixe uma resposta