A candidatura de Marina!

Fernando Krieger

Estudante de Filosofia e editor do The Ironic Herald

 

Depois que assumiu como candidata em 2014, quando da morte de Eduardo Campos, recebendo mais de 22 milhões de votos e terminando em terceiro na disputa, Marina Silva, da Rede, busca melhorar a sua situação para a corrida presidencial deste ano.

Ontem 27, a Rede fechou um acordo com o movimento Agora!, que é apoiado pelo apresentador e ex-quase-foiporpouco-pré-candidato Luciano Huck.

Batizada de “coligação cidadã”, o movimento terá pelo menos cinco nomes disputando cargos pelo partido de Marina, como o ex-juiz Márlon Reis, idealizador do Ficha Limpa e pré-candidato ao governo do Tocantis.

O movimento deixa claro que não é um apoio ao nome de Marina como presidenciável, apenas um movimento de renovação política. O Agora! ainda busca um nome para apoiar nas próximas eleições.

Além da Rede, o movimento poderá lançar nomes pelo PPS, Podemos e PSB.

Mas as coisas não estão muito fáceis, no mesmo dia em que fez o acordo com o Agora!, Marina Silva perdeu de suas fileiras dois importantes nomes: Alessandro Mollon, deputado federal do Rio e Aliel Machado deputado federal do Paraná. Ambos migraram para o PSB.

Com essa baixa, Marina precisa correr contra o tempo e aproveitar a janela partidária que começa no dia 7 de março. Se a pré-candidata não aumentar esse número corre o risco de ficar de fora dos debates. Pelas novas regras, as emissoras devem chamar apenas candidatos que possuam no mínimo cinco parlamentares. A Rede ficará com apenas três: um senador, Randolfe Rodrigues, e dois deputados, Miro Teixeira (RJ) e João Derly (RS).

Se em 2014 as coisas estavam melhores, pois Marina estava em um partido maior, este ano será complicado.

Se nada der certo a Rede ainda tem cartas para jogar, inclusive Ciro Gomes – que sonha acordado com uma chapa apoiada pelo PT, com Haddad como vice, o “time dos sonhos” – o pré-candidato do PDT também já sinalizou que “seria uma honra” ter Marina como sua vice.

De qualquer forma Marina precisa se mexer ou a sua candidatura vai passar despercebida, como a de muitos. Ou você lembra que José Maria Eymael do PSDC foi candidato em 2014? Guardadas as devidas proporções, é claro!

2018 promete, só espero que para o bem do país!

2 Comentário

  1. Os partidos REDE / PSB / PDT / PPS estão entre os mais incoerentes do País.

    Incrível.

    Todos sabemos que são partidos de esquerda desde a fundação, mas não cagam e não saem da moita!

    Quer dizer, cagam..

  2. Que os brasileiros não deixem passar a grande oportunidade de varrer o lixo que campeia na política!
    Farei a minha parte em NÃO REELEGER alguém que já tenha cargo de eleição ou que tenha histórico.
    Ao fazermos isso, lhes estaremos dando a maior lição das suas vidas e, concomitantemente, deixando um solene AVISO aos entrantes!
    E viva o Brasil, NOSSA Pátria!

Deixe uma resposta