Bolsonaro condiciona ajuda para a Amazônia e se reúne com governadores

Imagem: reprodução TV Globo

Ajuda financeira do G7

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira, 27, que o presidente da França, Emmanuel Macron, terá de “retirar insultos” contra ele e contra o Brasil antes de considerar a ajuda de cerca de R$ 83 milhões dos países do G7 para combater queimadas na Amazônia.

Bolsonaro se refere ao episódio em que Macron o chama de “mentiroso” e a fala do presidente francês sobre a definição de um “status internacional” da Amazônia.

“A verdade é que associações, ONGs e atores internacionais, inclusive jurídicos, questionaram em diversos anos se era possível definir um status internacional para a Amazônia”, afirmou Macron.

Governadores

O presidente Bolsonaro se reúne nesta manhã de terça-feira com governadores de estados da Amazônia para discutir ações de combate às queimadas.

O encontro ocorre no Palácio do Planalto quatro dias após o presidente ter assinado um decreto autorizando o envio de tropas das Forças Armadas para a região.

No último sábado, os governadores do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia Legal divulgaram um documento no qual pediram a cooperação do governo federal no combate às queimadas.

Com informações: G1

Ministro Salles

Em meio a crise internacional da Amazônia e as trocas de farpas entre Bolsonaro e Macron, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, participou do programa “Roda Vida”, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira, 26.

O ministro insistiu em sua retórica contra a “indústria da multa” em áreas de preservação ambiental e mais um vez passou longe de se responsabilizar pelo aumento das queimadas e desmatamento.

Sobre o chamado “Dia do Fogo” e os alertas emitidos pelo Ministério Público, o ministro disse que a pasta cumpriu a sua parte e, indiretamente, responsabilizou o Ministério da Justiça e Segurança Pública, de Sérgio Moro, pela falta de atenção.

Com informações: Revista Fórum

1 Comentário

  1. O PT vendeu grande parte da Amazônia…os compradores, agora, querem se apropriar!
    Passou da hora de o Brasil acabar com a farra de milhares de ONGs que atuam na Amazônia apenas em benefício próprio e sob propósitos “ambientais” (sic).

Deixe uma resposta