Assembleia aprova moção de apoio a campanha “Não é não” contra o assédio às mulheres

A campanha “Não é não” contra o assédio às mulheres contou com apoio do deputado Marcius Machado (PL), que aprovou, no parlamento catarinense, uma moção apelando à Secretaria de Segurança Pública (SSP/SC), ao Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e aos prefeitos de Florianópolis, Joaçaba e Balneário Camboriú que dessem mais visibilidade e apoio às causas femininas.

Segundo o deputado, dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública apontam que os índices de violência contra a mulher em território nacional registram uma média de 606 casos de violência doméstica e 164 estupros por dia. Já na Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, o “ligue 180”, foram registradas no primeiro semestre de 2018 aproximadamente 73 mil denúncias.

Machado salienta que, quando é falado em assédio, automaticamente lembramos do Carnaval, época festiva que acaba sendo marcada por aumento no número de ocorrências. “E assim surgiu o movimento onde as mulheres utilizam uma tatuagem temporária com a inscrição “não é não”. A frase é simples e clara e fica estampada no peito, ou onde ela quiser, para que os homens entendam que não importam a temperatura, a pouca roupa e nem o excesso de álcool: Não é não”, destaca o parlamentar.

Em apoio às mulheres e contra o assédio, seja no carnaval ou em qualquer época do ano, Machado pede para que os órgãos públicos deem apoio à causa. “É importante dar mais visibilidade às causas femininas, afinal se elas estão reivindicando algo é porque estão passando por problemas. Estamos em um novo tempo, não podemos deixar que a segurança da mulher passe despercebida”.

É um recado também para o colega deputado Jessé Lopes (PSL), que minimiza este tipo de ação e recentemente falou na tribuna que as “mulheres gostam de ser assediadas”, relembre aqui.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta