Após ameça de morte contra a mãe, juiz determina que filho saia da casa e se trate contra alcoolismo

Foto: reprodução

Ele chegou em casa bêbado, ameaçou de morte a própria mãe, xingou-a com palavrões impublicáveis e quebrou a pancadas o guarda-roupa e uma janela da casa. A polícia militar foi acionada, ele tentou fugir, mas foi preso em flagrante. Isso aconteceu na madrugada desta quarta-feira, 15, em Blumenau.

Na audiência de custódia, o homem disse não recordar de ter xingado a mãe, pois estava bêbado, mas lembra de ter quebrado algumas coisas em casa. Confirmou ter agredido verbalmente os policiais e tentado fugir. Para o juiz Frederico Andrade Siegel, da 2ª Vara Criminal da comarca de Blumenau, apesar de demonstrada a materialidade dos crimes de dano e injúria e dos indícios de autoria, não há justificativa, neste caso, para decretar a prisão preventiva.

Diante da violência doméstica, o magistrado determinou medidas protetivas em favor da vítima. O agressor está proibido de se aproximar da mãe e dela deve manter distância de ao menos 100 metros. Por consequência, está proibido também de continuar a residir com ela ou manter qualquer tipo de contato.

As medidas valem por 90 dias. Além disso, o homem deverá informar, em cinco dias, o endereço onde poderá ser localizado e terá que participar de um programa para dependentes de álcool pelo prazo mínimo de seis meses. Sua frequência será fiscalizada pela Central de Penas.

Fonte: TJSC

1 Comentário

  1. Nesta hora falta um pai para dar um bom corretivo .
    Imagina um filho chegar bêbado em casa e ameaçar a mãe de morte , o que merece um vagabundo destes?

    Logo vem os defensores do politicamente correto dizendo que violência gera violência , que o rapaz precisa ser amparado pelo governo para tratar a dependência , etc…etc…Merece um psicologo , e o nome é cinta , esta mesmo , aquela que nossos pais usavam na psicologia antiga , e não tinha ninguém que questionasse , quem criava os filhos eram os pais , e todos se respeitavam .Não precisávamos de psicologo, tínhamos respeito pelos pais e pelos mais velhos , éramos pessoas felizes , quando errávamos , sabíamos as consequências.

Deixe uma resposta