A fala de Carlos Bolsonaro, o golpe de 1964 na ONU, CPMI das Fakes News e o depoimento de Lula

Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

Carlos Bolsonaro

Se o pai não pode, pois passou por uma cirurgia, o filho trás a polêmica do dia. Em uma mensagem no Twitter, Carlos Bolsonaro (PSC), afirmou que a transformação que, segundo ele, o Brasil quer, não acontecerá na velocidade almejada, pelas vias democráticas.

“Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!”, afirmou o vereador.

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM) e presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), criticaram a fala de Carlos.

Após a repercussão da publicação, Carlos Bolsonaro publicou nova mensagem dizendo que apenas deu “uma justificativa aos que cobram mudanças urgentes”.

Com informações: G1

Governo Bolsonaro se recusa a reconhecer Golpe de 1964 na ONU

O governo Bolsonaro se recusou a reconhecer na Organização das Nações Unidas a existência de um golpe militar em 1964 no Brasil. O Itamaraty ainda evitou utilizar o termo “regime militar”, referindo-se à ditadura militar como “eventos de 1964 a 1985”, além de ter reafirmado que foram “eventos” legítimos e que faziam parte da luta contra o comunismo. Um dos relatores da ONU disse que o posicionamento brasileiro sobre o tema é uma “volta à Idade Média”.

Com informações: UOL

CMPI das Fake News

Aprovada hoje no Congresso, a convocação dos aplicativos WhatsApp e Telegram para que prestem esclarecimentos sobre a produção e disseminação de notícias falsas.

Os requerimentos foram colocados em votação à revelia e tentativa de obstrução do PSL, partido do presidente Bolsonaro. A tática dos governistas não surtiu efeito.

Com informações: UOL

Lula será ouvido pela Comissão Nacional dos Direitos Humanos

Carolina Lebbos, juíza da 12ª Vara Federal de Curitiba, autorizou o depoimento do ex-presidente Lula à Comissão Nacional dos Direitos Humanos.

O órgão apura “violações de garantias constitucionais e direitos humanos” supostamente cometidas na ação penal do triplex do Guarujá. A audiência deve acontecer no próximo dia 17.

2 Comentário

  1. cirurgia, o filho trás a polêmica do dia. Em uma mensagem no 

    Traz é com Z – verbo traZer

  2. Carlos deveria ter citado que os dominadores do Brasil são os bancos e grandes corporações.

    E se não fosse a Intervenção militar de 64, hoje seríamos uma Cuba, Venezuela comunista oprimida…

Deixe uma resposta