Quando a Prefeitura de Blumenau vai (re)abrir uma central na Vila Germânica para testagem de casos suspeitos de Covid?

Foto: Redes Sociais

Quando a Prefeitura de Blumenau vai (re)abrir uma central na Vila Germânica para testagem de casos suspeitos de Covid?

Esta é a pergunta – e cobrança – mais feita ultimamente nas redes sociais oficiais. Eu mesmo fiz o a questionamento para o prefeito Mário Hildebrandt (Podemos) e a vice Maria Regina Soar (PSDB), que repetiram o que tem feito, de que não será aberta uma estrutura extra.

Eles são os gestores, eles conhecem mais que ninguém, mas as respostas ainda estão longe de convencer os milhares de usuários que estão recorrendo e lotando as estruturas públicas de saúde, nos AGs e ESFs da cidade, que estão atendendo a demanda normal e a demanda da vacinação e da testagem, que atinge níveis elevados.

Somente nesta quarta-feira, 12, foram 2,157 testes e quase duas mil pessoas vacinadas, uma demanda extra de mais de quatro mil pessoas. Fora os muitos que vão aos locais em busca de informação, sem falar nos demais problemas de saúde.

O fenômeno não é só de Blumenau, é estadual e nacional. E muitos que reclamam hoje da superlotação, superlotaram praias, festas, baladas e muito mais na virada do ano.

Portanto, não dá para querer colocar tudo na conta do Poder Público, até por que as unidades privadas também apresentam um grande movimento. A responsabilidade é de todos.

Mas cabe a decisão, neste momento, aos gestores. Mário e Maria, o prefeito e a vice que é da área da saúde, mantém-se convictos, mesmo com os registros de aglomerações e pessoas expostas neste calor todo aguardando atendimento, que é demorado pela demanda.

Há o entendimento que, mesmo que se a central da vila estivesse aberta, haveria lotação, pois o que está acontecendo é a combinação de um surto de síndrome gripal com a onda de novos casos da variante ômicron, sobrecarregando as redes públicas e privadas.

Na transmissão oficial desta quarta-feira, Maria Regina disse que hoje a rede de atendimento é maior, espalhada pelos sete ambulatórios e 66 ESFs, explicou as medidas que estão sendo tomadas, como ampliação de horários de atendimento e suspensão das férias dos profissionais e pediu compreensão e empatia.

Outro argumento é que o surto também atinge os profissionais, com 54 afastados nas unidades.

Em suas redes sociais, Mário Hildebrandt fez uma comparação com 12 de janeiro do ano passado. Lembrou que na época havia menos da metade dos casos ativos na cidade e um número muito maior de internados em UTIs.

Este é um comparativo importante. Mesmo com batendo recordes nos casos positivos de Coronavírus, as UTIs de Blumenau estão com 12% de ocupação. Esta sempre foi a preocupação, pois a saturação do sistema – que aconteceu em alguns momentos, não em Blumenau, mas pelo Brasil – poderia gerar uma tragédia ainda maior que as 620 mil mortes registradas até agora.

A decisão está tomada.

 

3 Comentário

  1. Realmente isso é a soma do excesso de aglomero com a ânsia dos gestores em querer desativar uma estrutura que funcionava bem para realizar a sommerfest. No fina não tivemos a festa e perdemos uma estrutura que era um exemplo de atendimento.
    Lembrar a eles que estamos no mundo inteiro vivendo uma pandemia, onde até o momento não foi rebaixado para outro nível como poderia vir a se tornar uma endemia se os casos não tivessem explodido desta forma. Tive que levar meu filho para fazer a vacinação de rotina e fui ao ag pois as unidades de referência estão só atendendo covid e desisti pois a bagunça é tanta que uma simples informação você precisa pegar senha e esperar duas horas, isso mesmo 2 horas para fazer uma simples pergunta. Tive que me deslocar a uma clínica particular para efetuar a aplicação, tive que gastar uma quantia significativa em um momento tão difícil economicamente e o que o município fará, nada! Não se vê um responsável dando a cara ou querendo resolver, uma falta de respeito para com quem paga seus impostos, umas falta de respeito até de alguns servidores que poderiam tomar a frente e procurar fazer a fila andar mas fazem mais questão ainda de tumultuar. Enfim o grande e nobre ser humano volta atrás e admite seu erro, prefeito e vice prefeita vcs não estão acima de ninguém, admitam que erraram e reative o que estava funcionando, pq sair de casa para aplicar uma simples vacina em um bebê e não conseguir é uma vergonha, e capaz de sair de casa saudável e voltar com a covid é o fim, pois é o que está acontecendo, pedem para não aglomerar, não fazer festas, usar máscaras e etc, mas quando o poder publico deve dar o exemplo eles fazem tudo ao contrário são unidades socadas igual caminhão de porco, servidores por algumas vezes circulam sem máscaras, e agora se fosse uma empresa privada seria notificada e fechada, tá na hora do poder publico ser e dar o exemplo e não usar a famosa frase “faz o que eu falo e não o que eu faço”. Revolta tal descaso!

  2. Bom dia, Alexandre. Para melhorar um pouco a situação, bastava instalarem aquelas tendas e fazer um ambiente externo separado para vacinas e/ou testes Covid-19 nos AG’s. Há espaço. Como foi para a vacinação gripe em 2020. Assim, haveria menos interação contagiante entre sadios e eventuais infectados. Alguém poderia sugerir isso a eles?

  3. É simplesmente um descaso com a comunidade.. Precisamos de informação e atendimento! Como vai ser daqui há um mês? Os casos irão diminuir sozinhos? Muito descaso.. nos mostra mais uma vez que só se preocupam com eles mesmos, para a população, nada!

Deixe uma resposta