O “messias” está voltando!

Foto: Nelson Pereira/AFP


Fernando Krieger *

Colaborador voluntário

 

Pesquisa CUT/Vox Populi mostra “O Messias” (que não é Jair Bolsonaro) como favorito para eleições presidenciais.

Realizada entre os dias 6 e 10 de abril e divulgado ontem, 18, pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), pesquisa revela que Luiz Inácio, venceria em todos os cenários nas eleições presidenciais.

Contra o Aécio (PSDB-MG), 44% a 9%.

O “salvador” da pátria, Bolsonaro (PSC-RJ), subiu de 7% para 11% (e a CUT/Vox Populi jura que não entrevistaram meninos de 12 anos que gostam de games).

A líder da Rede “Santa” Marina Silva, se manteve com 10%.

Quem também se manteve, foi o “alto falante ambulante” Ciro Gomes (PDT-CE) com os mesmos 4% (porcentagem pequena pelo tanto que fala).

Em um cenário com o Alckmin (PSDB-SP), Luiz Inácio venceria de 45% a 6%.

Em outro cenário, com o prefeito “reality show” de São Paulo, João Dória (PSDB), Luiz Inácio venceria de 45% a 5%.

Segundo turno

Enfrentando Alckmin, Luiz Inácio teria 51% dos votos válidos contra 17% do tucano.

Se o candidato fosse Aécio, o ex-presidente levaria 50% dos votos válidos e o senador teria 17%. Contra a “Santa”

Marina, Luiz Inácio venceria as eleições por 49% a 19%.

E claro, a pesquisa não divulgou nenhum cenário em que o Luiz Inácio não estaria no segundo turno (claro que não, a pesquisa é CUT/Vox Populi, repito, CUT).

Pesquisa espontânea

No voto espontâneo, quando os entrevistados falam em quem votariam sem uma lista de nomes, Lula tem 36% das intenções de voto. Doria aparece com 6%; Aécio, 3%; Marina, 2%; o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e Alckmin têm 1%.

Apesar dos bons números do “Messias”, 66% dos entrevistados acham que Luiz Inácio cometeu erros, apesar de ter feito “muito mais coisas boas pelo povo e pelo Brasil”.

Em dezembro, esse índice era de 58%.

A pesquisa entrevistou 2.000 pessoas em 118 municípios de todos os Estados e do Distrito Federal. A margem de erro é de 2,2%, com um índice de confiança de 95%.

Na real, não tem muita gente preocupada com as delações, ou nomes envolvidos em algum escândalo.

E não acusando nenhum dos nomes citados (não nas delações, me refiro ao texto), o povo tá meio assim:
“É do povo, tem cara de povo, vai fazer alguma coisa, por mais pequena e duvidosa que seja, tá bom!”

Já passou da hora de discutirmos políticas públicas de verdade, e parar de procurar salvadores da pátria, messias ou gurus.

* Para ler outros textos do Fernando Krieger, leia aqui.

7 Comentário

  1. Se isto realmente acontecer , será a hora de vender tudo e ir embora deste país .

  2. Em Blumenau vai ter uma eleição individual para Presidente digo,só aqui em 2018 e será em setembro o candidato é o Bolsonaro, único que vai ganhar com uma margem de 100% segundo pesquisa ele tem 80% da preferencia do povo de Blumenau para presidente.Já veio uma vez aqui na OKTOBER,agora vai vir de novo proferir uma palestra.Ate´2018 todos serão Bolsonaro viva a bela Blumenau.

  3. cada louco com sua cangalha, é o povo d Blumenau, mud33pos4poderes, é só ver como ficou na eleição d 2016.

  4. Obviamente entendi o sentido figurado do termo ‘messias’ para se referir à Lula, mas mesmo assim, reprovo. Não sou nenhum fanático religioso, mas ainda assim considero uma profanação. Poderia utilizar o termo ‘salvador’, que teria o mesmo significado, e não causaria ojeriza.

  5. Zezinho, correta sua observação, entretanto, nem Salvador podemos utilizar, o correto seria
    ” O mentiroso quer voltar “.

  6. Caro Rubens, só para deixar claro, sou anti-pt, anti-lula e anti qualquer coisa que se assemelhe! O ‘salvador’, na minha colocação também era sentido figurado…

Deixe uma resposta