Esposa de Jair Bolsonaro manda mensagem para evento sobre Doenças Raras em Blumenau

Fotos: Gregory Martins/divulgação

A primeira-dama do Brasil, Michelle Bolsonaro, não pode comparecer ao I Fórum Doenças Raras do Vale do Itajaí, realizado no fim de semana em Blumenau, mas mandou uma mensagem, onde fala da importância do tema.

Durante o encontro, diversos mestres da medicina e da enfermagem dividiram seus conhecimentos sobre dificuldades no diagnóstico de Doenças Raras, Ultragenix, Atrofia Muscular Espinhal, Doença de Fabry, MPS, CLN2, Epidermólise Bolhosa, Interdisciplinaridade e Intersetorialidade, Síndrome Hemolítico e Medicina de Precisão. Assuntos estes que parecem raros, mas só no Brasil, por exemplo, estimam-se cerca de 13 milhões de pessoas com Doenças Raras.

O evento foi organizado pela Renal Vida, Furb e Debra, ofereceu a troca de experiências e trouxe muito aprendizado para aulos, profissionais e comunidade em geral. Cerca de 150 pessoas participaram do Fórum.

Doença Rara:

O Ministério da Saúde considera uma doença rara aquela que afeta até 65 pessoas em cada 100 mil habitantes e, apesar do nome, as doenças raras afetam milhões de brasileiros. Algumas delas, inclusive, “são vistas com mais frequência”, como: Doença de Gaucher, Fabry, MPS, Pompe, Doença de Von Gierke e Sindrome de Bartter.

2 Comentário

  1. Calma Jerry, segue em segredo de justiça essas investigações. E o plenário do Supremo irá decidir o mérito da questão, que tem repercussão geral, em sessão no dia 22 de novembro, segundo o calendário divulgado pela Corte.
    Bom que se diga, só no Rio de Janeiro 26 deputados e ex-deputados estaduais são investigados pelo Ministério Público com base em informações do Coaf que deu início ao caso Queiroz.

Deixe uma resposta