Bolsonaro diz que deu aval a Guedes sobre nova CPMF, mas quer compensação tributária

Foto: reprodução/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste domingo que autorizou o ministro da Economia, Paulo Guedes, a discutir a criação de um novo imposto baseados nos moldes da antiga Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF).

No entanto, ele destacou que a eventual adoção dessa medida deve vir acompanhada de desonerações ou extinção de algum tributo atualmente em vigor, de acordo com declarações publicadas pela mídia.

Segundo o presidente, o governo não pretende aumentar a carga tributária do país. “Ninguém aguenta pagar mais imposto”, afirmou durante parada em uma padaria em Brasília.

Bolsonaro disse ainda que dentre as possibilidades de compensação para o novo tributo, que estão sendo discutidas com Guedes, estaria a revisão na tabela do Imposto de Renda.

“O que eu falei com o Paulo Guedes. Pode ser o imposto que você quiser. Tem que ver do outro lado o que vai deixar de existir. Se vai diminuir a tabela do Imposto de Renda, fazer desoneração, acabar com o IPI [Imposto sobre Produto Industrializado]. Tem que botar os dois lados da balança”, acrescentou o presidente.

Na mesma ocasião, Bolsonaro confirmou que, a princípio, o executivo André Brandão será o próximo presidente do Banco do Brasil.

Fonte: Reuters

1 Comentário

  1. Bandido! repete o PT que desonerou folhas em troca da promessa, pelos empresários, da manutenção dos empregos. Tomaram várias bananas, pois os empresários passaram a recolher menos, colocaram gente na rua e aumentaram suas margens de lucro. Já tem uns R$ 300 bi/ ano de renúncias ficais. E ele não faz nada, quer dar mais. Disse que ia acabar com a Sudene, Zona Franca e Sistema S, não fez nada! Tem os fundos fechados, com os quais ninguém mexe que não recolhem come-cotas.

    Tributem os juristas e parlamentares com supersalários irracionais, infames e inconstitucionais.
    Tributem os superricos e grandes fortunas. Os 0,09 % mais ricos representam uma base tributável de R$ 1,4 trilhões. Há milhões de pessoas físicas, com altos salários, disfarçadas de jurídicas e pagando pouco.Outra invenção do Partido Terrorista…
    Disse que enquadraria os militares na reforma da previdência. Mas agora isso tudo pra pagar aumentos dos milicos, unicos q se aposentam com salário integral!

    Depois não reclamem de convulsão social geral.

Deixe uma resposta