Polícia Civil do Rio apreende sistema de comunicação do condomínio de Bolsonaro

Foto: reprodução

A Polícia Civil do Rio de Janeiro apreendeu nesta quinta-feira, 7, o sistema de comunicação da portaria do condomínio Vivendas da Barra, onde morava um dos acusados pelas mortes de Marielle Franco e Anderson Gomes, Ronnie Lessa.

A Polícia deve fazer uma perícia no material para tentar esclarecer a entrada, no dia da morte de Marielle, de outro acusado do crime, Élcio Queiroz.

Em depoimento, um dos porteiros teria afirmado que quem liberou a entrada de Élcio no condomínio foi o “seu Jair”. Essa versão é baseada em anotações do livro da portaria.

Neles, o porteiro teria dito à Polícia que, ao verificar, pelas câmeras de vigilância, que o visitante não ia para a casa de Bolsonaro, mas para o imóvel de Ronnie Lessa, teria ligado novamente para a casa do então deputado federal. “Seu Jair” teria dito que sabia para onde Élcio se dirigia.

O presidente Bolsonaro e seu filho Carlos também tem casa no condomínio. O então deputado federal Jair Bolsonaro estava em Brasília neste dia.

As informações são do O Estado de S. Paulo

1 Comentário

Deixe uma resposta