Blocão afina discurso para reunião com o presidente

Blocão

Na véspera de uma reunião com o presidente Bolsonaro, dirigentes do centro e centro-direita se encontram nesta quarta-feira (03) para afinar o discurso.

O bloco composto por DEM, PP, PR e PRB tentam manter a união que viabilizou a eleição de Rodrigo Maia à presidência da Câmara.

A ideia para a reunião é ouvir mais do que falar, esperar o que o presidente tem a dizer.

Com informações da Folha

A cobrança por diálogo

Wellington Roberto, novo líder do PR na Câmara, espera que o retorno de Bolsonaro, seja o ínicio de uma nova fase na relação com o Congresso.

“Esperamos que o governo Bolsonaro possa acordar para o diálogo. Não é uma questão de loteamento de cargos, mas, sim, de confiança para que a gente possa dar sequência àquilo que a sociedade espera”.

Aliados esperam que ele apenas jogue…

Após 4 dias em Israel, Bolsonaro está a caminho do Brasil. Ao deixar o hotel em Tel Aviv, Bolsonaro falou com a imprensa. Disse que anda cansado, que o foco do governo agora é a aprovação da reforma da Previdência, que está disposto a dialogar com o Congresso e que não quer encrenca com o povo árabe.

“Vamos jogar pesado na [reforma da] Previdência, porque é um marco. Se der certo, tem tudo para fazer o Brasil decolar”, afirmou.

Com informações do G1

Orçamento impositivo

A PEC do orçamento impositivo – se houver surpresas – deve ser aprovado hoje na CCJ e no plenário do Senado.

Como o texto passará por mudanças, ele retorna à Câmara. Rodrigo Maia prometeu uma votação definitiva em até 20 dias.

Paulo Guedes na Câmara

Hoje (03) é dia de Paulo Guedes, ministro da Economia, na CCJ da Câmara.

Quem está esperando ansiosamente o encontro é a oposição, que estará frente com o “Posto Ipiranga” de Jair Bolsonaro.

Guedes faltou à sessão na semana passada, mas foi à Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Resumo do Brasil: o blocão vai ouvir o presidente, a cobrança por diálogo, Bolsonaro pretende entrar no jogo pela reforma da Previdência, prazo para a votação do orçamento impositivo e Paulo Guedes no Congresso.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta