“Porque é necessário, o Estado precisa e posso ajudar”, diz Amin sobre pré-candidatura

Nesta terça-feira, 03, foi a vez de Esperidião Amin, pré-candidato do PP ao Governo, dar entrevista ao colega Alexandre Pereira na Rádio Clube.

Pode parecer meio mórbido, mas ele estava no velório da sogra, mãe de Ângela Amin, que faleceu aos 96 anos.

Começou fazendo uma homenagem aos professores e à educação, dissertando sobre propostas para a área.

Concorre pela quinta vez ao Governo do Estado, com duas vitórias e duas derrotas. “Porque é necessário, o Estado precisa e posso ajudar”, afirmou sobre a nova tentativa eleitoral.

Garante que sua pré-candidatura é para valer, mas lembrou a aliança com o PSD de Gelson Merisio, além das afinidades com João Paulo Kleinübing (DEM) e Paulo Bauer (PSDB). “Todos egressos do PDS, da maior e melhor escola política de Santa Catarina” e “nós podemos procurar um entendimento para compor um projeto para os momentos difíceis que Santa Catarina enfrentará, ” disse.

Deixou de fora apenas o MDB o PT como parceiros para eventuais alianças.

Disse que nenhum dos pré-candidatos pode ser irredutível e prometeu tentar conversar com as lideranças acima, além do ex-governador Raimundo Colombo, pré-candidato ao Senado pelo PSD, para construir uma aliança.

Dá um play na entrevista concedida à Radio Clube, que tem a expectativa de entrevistar os também pré-candidatos Kleinübing e Décio Lima (PT) nos próximos dias, sempre com repercussão do Informe Blumenau.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta