O “lavajatismo”, “de hoje não passa” e a nova UDN

“Lavajatismo”

Ao blog do Josias (UOL), Gilmar Mendes, ministro do STF declarou: “A Receita Federal montou um aparato composto de pessoas que vestiram roupa de Polícia Federal e de Ministério Público.”

Nas palavras de Gilmar, “o grupo realiza investigações policialescas, que nada têm a ver com a Receita”. Numa alusão à Operação Lava Jato, o ministro afirmou: “O lavajatismo invadiu a Receita Federal. Criaram uma força-tarefa branca”.

As declarações foram dadas em meio a uma queda de braço entre o ministro e o Fisco.

Bebianno

O ainda ministro Gustavo Bebianno, disse que vai devolver “em triplo”, dentro da lei, as ameaças que contou ter recebido por telefone, depois que seu número foi divulgado por diversas pessoas, que já teriam sido identificados por ele. Bebianno afirmou que cada uma dessas pessoas será “surpreendida com uma ação judicial”.

“De hoje não passa”

Uma definição do caso do ministro Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral da Presidência, “de hoje não passa”, disse o vice-presidente Hamilton Mourão.

UDN

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) negou no Twitter que esteja envolvido na recriação da UDN (União Democrática Nacional).

O clã estaria migrando para a nova sigla depois que as coisas no PSL ligaram o alerta laranja.

“Informações de sites e outros estão me incluindo numa possibilidade de formação de novo partido. Informo a todos que não estou participando na formação ou resgate de qualquer partido”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

Major Olímpio

O senador e presidente do PSL paulista Major Olímpio, afirmou no domingo (17), que Jair Bolsonaro não sairia do partido e que quem afirma isso procura desestabilizar a legenda.

Fontes: UOL, G1 e Twitter

Resumo do Brasil: o “lavajatismo”, o vice disse que “de hoje não passa” e parece que não vai rolar a UDN com o clã.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta