Bolsonaro com Guaidó, a reforma em reforma e a condenação de Paulo Preto

Foto: Reprodução TV NBR

Bolsonaro com Guaidó

O presidente Jair Bolsonaro recebeu nesta quinta-feira (28) o autodeclarado presidente da Venezuela, Juan Guaidó.

Em seu pronunciamento, o presidente brasileiro – alinhado aos norte-americanos – disse que não poupará esforços para restabelecer a democracia no país vizinho.

Reforma em reforma

Bolsonaro admitiu em reunião na manhã desta quinta-feira (28) que o governo poderá rever alguns pontos da proposta da reforma para a Previdência, desde que a essência seja mantida.

Entre os pontos: o Benefício de Prestação Continuada (BPC) para os idosos carentes. Na proposta do governo, esse benefício iria para idosos, um salário mínimo, de mais de 70 anos, com uma variação de R$ 400 para 60 a 70 anos. Hoje, são 65 anos, a idade para aposentadoria rural e a idade mínima para aposentadoria de mulheres. Na proposta do governo enviada à Câmara, está em torno de 62 anos. Ele chegou a admitir algo em torno de 60 anos.

Na avaliação de assessores presidenciais, ele fez um movimento “cedo demais” ao acenar com mudança em pontos relevantes da reforma.

Paulo Preto condenado

Paulo Preto, ex-diretor da Dersa (estatal paulista de rodovias), foi condenado a uma pena de 27 anos e oito dias, sendo os sete primeiros anos em regime fechado.

Pela primeira vez condenado na Lava Jato, Paulo Preto é suspeito de ser o operador do PSDB.

Fontes: Folha e G1

Resumo do Brasil: Bolsonaro com Guaidó, a reforma em reforma e a condenação de Paulo Preto.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta