Alexandre Caminha não será candidato à reeleição para a Câmara de Vereadores

Foto: reprodução

O vereador Alexandre Caminha anunciou na manhã desta quinta-feira, 17, que não será candidato à reeleição para a Câmara de Vereadores de Blumenau. Em publicação em sua rede social particular, informou que se dedicará nos próximos dois anos a construir o seu nome para a campanha de deputado em 2022. Este é seu argumento para não tentar à reeleição, mas ele deve estar fazendo cálculos também, ter avaliado os prós e contra.

Alexandre Caminha acabou indo para no Solidariedade, com mais dois colegas vereador – Zeca Bombeiro e Jovino Cardoso – que fizeram votação superior a dele e tentarão à reeleição.  Além disso, correndo por fora, tem como adversário Ivo Dickmann que tem tudo para fazer uma boa votação. Como o SD deve fazer um, no máximo dois vereadores, as chances de Caminha eram menores.

Apostaria nele como nome certo para integrar a linha de frente do governo Mário Hildebrandt em caso de reeleição do prefeito.

Alexandre Caminha começou a construir a carreira pública no Procon de Blumenau e elegeu-se vereador em 2016 com 2.477 votos. É autor de 35 leis nas áreas de Direito do Consumidor, Cultura, Saúde e Incentivo à Economia.

Confira a nota na íntegra:

OS MOTIVOS DO MEU NÃO A REELEIÇÃO

Ocupar uma cadeira no Legislativo foi um sonho que nasceu dentro da minha família.
Ainda pequeno, vi meu Pai engajado politicamente para construir uma sociedade melhor. Médico renomado em Blumenau, tendo sido um dos Fundadores Nacional e Presidente do PSDB de Blumenau, onde foi Secretário Municipal de Saúde (Gestão Renato Viana). Meu pai fez o que estava ao alcance dele. Dr Luiz Eduardo Caminha, de quem tenho orgulho de ser filho, entregou 27 postos de saúde, ajudou a fundar o serviço de transplantes na cidade e em sua gestão foi implantando o PSF (PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMILIA), programa atualmente denominado Estratégia Saúde da Família (ESF).

Conforme cresci, entendi que auxiliar na construção de uma cidade melhor era também uma missão minha.

No Procon de Blumenau iniciei minha vida pública e, com auxílio de uma equipe maravilhosa, primeiro órgão público em que trabalhei, tornou-se referência para Santa Catarina, alcançando o melhor índice de resolução do Estado, com 97,4% na solução das demandas que lá entravam. Implantamos o poder de polícia e, através dos recursos obtidos com as multas aplicadas às empresas que não respeitam o consumidor, possibilitamos conquista de uma nova sede, ampliamos a frota e criamos a primeira unidade móvel de Santa Catarina.

Deixei o Procon por entender que era o momento de tentar ajudar os blumenauenses de outras formas, já que, a essa altura, muitos me pediam para me colocar à disposição da comunidade através do Legislativo.

Tenho imenso orgulho de ser um dos 15 Vereadores da terceira maior cidade do Estado, graças a confiança que os eleitores depositaram em mim nas urnas. É uma missão que exige muito trabalho, responsabilidade e dedicação.
Estar no Legislativo é muito difícil, pois não somos nós, vereadores, que executamos. Não somos nós que solucionamos as demandas, efetivamente falando. Nosso papel é fiscalizar e acompanhar junto à Prefeitura. Além, é claro, de criar leis para atender da melhor maneira quem vive em Blumenau.

Estou certo de que muitas leis de minha autoria e dos demais colegas, auxiliaram nossa cidade para um caminho melhor. Com leis que, inclusive, servem de modelo para outros Municípios e Estados. Cito aqui uma lei de minha autoria da qual tenho muito orgulho, sobre telefonia. Foi por meio dela que conseguimos levar sinal para regiões onde era praticamente impossível completar uma ligação.

Mas também é fato que estar vereador não é algo feito só de grandes demandas, de leis de grande repercussão. Implica em dedicar boa parte de seu tempo a demandas que não serão tão claramente vistas mas são muito importantes e também fazem parte do nosso trabalho.

Embora traga em mim uma felicidade diária em estar vereador, é fato que também vivo a angústia de, por vezes, não conseguir fazer com que se cumpram as leis que votamos, de não conseguir alcançar todas as necessidades dos cidadãos. São muitas as dificuldades e burocracias que as administrações empregam ao trabalho de um vereador, quando não, nossos próprios companheiros dificultam por mero ego pessoal.

Apesar das dificuldades em executar tudo o que queremos, tenho plena convicção que, embora sempre possamos ser melhores do que de fato somos, fiz tudo que estava a meu alcance e fiz muito por esta cidade, dentro das minhas competências legislativa.

A época da mídia agressiva e negativa na qual tenta todos os dias cegar um bom trabalho feito, não as custas de “tirar os maus”, mas tão somente para denegrir pessoas e tentar “dar visibilidade” a quem não a tem por mérito próprio para as próximas eleições, pregando uma renovação de pessoas, mas com velhos hábitos…

Mas enfim, em minha biografia não será encontrado nenhum nome a quem tenha atacado para chegar onde cheguei.

Cheguei ao Procon e a Vereador por um só fato: sou Alexandre Caminha. E através de um trabalho sério, consegui conscientizar uma ramificação de amigos de que SIM, eu poderia lhes representar. Nada além disso me trouxe aqui.

Chegamos aqui ao ponto que de fato importa no momento.

Após me dedicar exclusivamente ao meu mandato, pude perceber que minha ideia de que ser vereador é um passo muito importante e necessário de uma longa caminhada, mas é só o primeiro passo. E eu já o dei, da melhor maneira que poderia.

Acredito que a alternância de poder, essencialmente entre vereadores, que representam parcelas e momentos tão peculiares de uma cidade é uma realidade que deve ser pensada pelos eleitores.

Quem me conhece sabe que sempre fui a favor de eleições unificadas a cada cinco anos e que sempre vi reeleição em sentido restrito. Conheço e respeito ideias contrárias, mas por hora permaneço em meu entendimento.

Confesso que, em um primeiro momento, por estar dentro do que me possibilita as leis, ponderei a reeleição por entender que assim continuaria na vida pública até 2022, quando poderei me candidatar ao almejado cargo de Deputado.

Mas algo em mim fortemente estava sendo contrariado ao me candidatar a um cargo sabendo que, eleito fosse,
não o cumpriria até o final.

Há poucos dias, dias decisivos eu diria, completaram-se cinco anos da morte de meu Pai, Dr Caminha. Acredito que essa data tenha me tocado mais ainda no sentido de ressignificar meu pensamento sobre estar mais sendo levado pelos atropelos do dia a dia do que seguindo meus pensamentos e objetivos.

Estar dois anos fora de um mandato eletivo não significa não estar na luta por nossa cidade, significa o início de uma nova caminhada em busca de meu objetivo de ser Deputado, o que trabalharei em conjunto com meus objetivos privados até, novamente, dedicar-me inteiramente à vida pública.

É momento de gratidão. E ao invés de citar diversos nomes que me ajudaram até aqui, resumo todos em um eterno agradecimento àqueles que estiveram comigo todos esses dias: minha esposa, meu filho e minha sogra. Minha esposa, companheira nas horas mais difíceis e minha inspiração de vida. Sem minha família e verdadeiros amigos, eu jamais estaria onde estou e não conseguiria superar todas as angústias que me acompanham no dia a dia dessa função.

O que eu poderia fazer por Blumenau enquanto Vereador será feito até 31/12/2020. Espero poder falar com você em outra oportunidade me apresentando como pré candidato a Deputado, mas ciente de que cada passo que damos, que são diários, podem nos levar a um caminho diferente e que o futuro a Deus pertence e eu não desejo ser guiado por outras mãos, que não sejam a do meu Deus. Afinal, Deus sabe o que faz !!!

“No que diz respeito ao empenho, ao compromisso, ao esforço, à dedicação, não existe meio termo. Ou você faz uma coisa bem feita ou não faz.” – Ayrton Senna

1 Comentário

  1. A maioria dos atuais vereadores deveriam tomar a mesma postura .
    Caminha até vez uma boa vereança se compararmos com a maioria , que quase nada fizeram ou fizeram tudo o que o prefeito mandou .

Deixe uma resposta