A surpresa desta eleição e o fracasso da pesquisa eleitoral em SC

Foto: Facebook

Comandante Moisés (PSL).

A única referência que o eleitor catarinense tinha dele no começo desta campanha era de que pertencia ao partido de Jair Bolsonaro. Agora, ele está no segundo turno da eleição e vai disputar com Gelson Merisio (PSD), deixando a dobradinha MDB-PSDB e o PT de fora da disputa.

Ele e o PSL surfaram na onda Jair Bolsonaro. Conseguiram gerar confiança e conquistar o eleitorado

Um feito e tanto, com muitos significados.

Comandante Moisés, como era conhecido no Corpo de Bombeiros, fez  1.071.406 votos, 29,72%.  Gelson Merisio (PSD), seu adversário, recebeu 31,12% dos votos, 1.121.869. Deixaram para trás o favorito das pesquisas, Mauro Mariani (MDB), e o PT de Décio Lima, que obteve 12,78% dos votos.

Por falar pesquisas, o Ibope foi um vexame em Santa Catarina.

Na sexta-feira a noite, o grupo NSC, que contratou a pesquisa, divulgou que Comandante Moisés tinha crescido, chegando a 9%. Mauro Mariani estava na liderança, com 25%.

Isso sem falar na pesquisa para o Senado. Raimundo Colombo (PSD), que estava quase 10% na frente do terceiro, ficou de fora, em quarto lugar. Lucas Esmeraldino (PSL)  por pouco não entrou, fez 17,79% dos votos, ele que apareceu com 8% na pesquisa de sexta.

1 Comentário

  1. Blumenau perdeu sua representatividade política , basta ver o que ocorreu com Napoleão , do Décio já esperávamos , pois quem defende presidiário não merece votos .

Deixe uma resposta