A Prefeitura de Blumenau e a possibilidade de paralisação no transporte coletivo

Foto: Siindetranscol

Na sexta-feira, o Sindetranscol sinalizou que poderia haver paralisações no transporte coletivo de Blumenau, por conta da falta de acordo na negociação coletiva. No sábado a Blumob emitiu uma nota e em seguida a Prefeitura, cujo o texto você acompanha abaixo.

“A Prefeitura de Blumenau, por meio do Seterb, vem acompanhando os desdobramentos da negociação salarial dos trabalhadores do transporte coletivo da cidade.

Diante do cenário de impasse, o Município pede às partes um rápido acordo para que a população não seja prejudicada com possíveis paralisações, como já foi cogitado pelo sindicato. Até o momento, a Administração Municipal não foi informadas sobre paralisação, aviso que deve ser feito com 72 horas de antecedência conforme prevê a legislação.

Com relação à pauta de reivindicação dos trabalhadores, os itens que se referem ao aumento real do salário de motoristas e cobradores preocupam a Prefeitura. O Município sabe a importância dos funcionários para a operação diária, mas caso seja dado o reajuste de 9%, conforme solicitado pela classe, o valor da tarifa aumentaria R$ 0,24 já em janeiro. Se for concedido apenas o reajuste do INPC em parcela única, o valor da tarifa teria impacto bem menor. Por isso, a Prefeitura pede sensibilidade, tanto da concessionária, quanto do sindicato, para que o usuário não sofra com as consequências desse processo.

Vale lembrar que a Prefeitura de Blumenau já se manifestou publicamente diversas vezes sobre as dificuldades financeiras ocasionadas pela crise financeira em todo o país, com aumento significativo das despesas. Importante relembrar que na negociação entre Prefeitura e servidores públicos, os servidores aceitaram proposta do Município de pagamento em três parcelas do INPC aos trabalhadores, evitando impacto dos serviços prestados à população, o que seria inevitável em hipótese de maior reajuste.

1 Comentário

  1. “Por isso, a Prefeitura pede sensibilidade, tanto da concessionária, quanto do sindicato, para que o usuário não sofra com as consequências desse processo.”

    O contrato é de CONCESSÃO , a empresa Blumob ( lei-a-se Piracicabana) deverá arcar com todos os custos da população e multas por parte da Prefeitura , pois não pagamos impostos para a prefeitura fazer concessão do transporte públicos para empresa que causa prejuízos a população.
    A negociação salarial dos funcionários da Blumob não deve e não pode causar prejuízos a população , as indústrias e ao comércio , que o ministério público intervenha , o contrato é de concessão e nele não existe cláusula de paralisação ou repasse integral das reivindicações dos
    funcionários e sindicato ao preço da tarifa .
    Pedir sensibilidade a concessionária ? Façam cumprir o contrato .

Deixe uma resposta