A lista tríplice da PGR e Aécio Neves se torna réu

Lista tríplice da PGR

A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) entregou nesta sexta-feira (5) ao presidente Jair Bolsonaro a lista tríplice com sugestões de nomes para substituir Raquel Dodge na Procuradoria-Geral da República.

O mandato de Raquel Dodge termina em setembro. Dodge não se candidatou à lista tríplice, mas disse que está “à disposição” de Bolsonaro para recondução. O mandato dela começou em 2017 e acaba em setembro.

O presidente pode escolher um procurador fora da lista, se quiser. Na campanha eleitoral, no ano passado, Bolsonaro disse que não necessariamente indicaria para a PGR um nome entre os apontados pela ANPR.

Os integrantes da lista

Mário Bonsaglia: Está no MPF desde 1991, já atuou como procurador regional eleitoral em São Paulo e tem doutorado em Direito do Estado pela Universidade de São Paulo (USP). Ele também apareceu entre os mais votados nas listas de 2015 e de 2017;

Luíza Frischeisen: Comanda o grupo responsável por coordenar a atuação dos procuradores na área criminal. Já fez parte do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), por indicação de Rodrigo Janot;

Blaul Dalloul: Atuou como secretário-geral do Conselho Nacional do MP por três anos. Também foi secretário-geral do Conselho do Ministério Público da União.

Aécio Neves se torna réu

A Justiça Federal de São Paulo ratificou o recebimento de uma denúncia feita pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra o deputado Aécio Neves e tornou ele réu por corrupção passiva e tentativa de obstrução judicial das investigações da Lava Jato.

A acusação foi feita a partir de delações de Joesley Batista, do Grupo J&F, que afirmou ter pago propina no valor de R$ 2 milhões ao deputado. Também são acusados de corrupção passiva a irmã do senador, Andréa Neves, um primo dele e um assessor parlamentar do congressista. Em troca, ele teria prestado favores políticos a Joesley.

O advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, afirmou que “não há fato novo “e que vai “provar que Aécio foi vítima de ação criminosa de Joesley Batista”

Com informações do G1

Resumo do Brasil: a lista tríplice da PGR e Aécio Neves se torna réu.
 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta