Indícios da existência de “organização criminosa” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro, a reforma tributária e o ministro da Educação na Câmara

Flávio Bolsonaro

O Ministério Público do Rio de Janeiro aponta indícios da existência de “organização criminosa” no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), para desviar recursos públicos e descreve detalhes de movimentações financeiras envolvendo o agora senador e assessores desde 2007.

O material foi apresentado para pedir a quebra de sigilo fiscal e bancário de Flávio e outras 94 pessoas, sob suspeita de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

A informação foi dada pelo jornal O Globo.

Reforma Tributária com a “digital” da Câmara

Em meio ao turbilhão que o governo federal se encontra e sem qualquer acerto com o Executivo, Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, articulou pessoalmente com partidos do Centrão e oposição o início da tramitação da reforma tributária.

O parecer é do relator, João Roma (PRB-BA) e foi lido ontem (15) no plenário da Casa.

Maia tem confidenciado a aliados que a reforma tributária é tão importante quanto a da Previdência. E que essa pauta terá a “digital” da Câmara. A proposta é do líder do MDB na Câmara, Baleia Rossi (SP), e foi apresentado sem qualquer alarde, em 03 de abril.

Ministro na Câmara

Abraham Weintraub, ministro da educação, foi convocado pela Câmara dos Deputados, hostilizado, assistiu a parlamentares baterem boca e afirmou ontem que manterá os cortes divulgados para a educação.

Os cortes levaram milhares às ruas de todo o país. Com um plenário esvaziado, o ministro não apresentou nenhuma alternativa para o MEC, que teve R$ 7,4 bilhões dos R$ 149 bilhões do orçamento bloqueados para 2019.

Com informações: UOL

Resposta de Bolsonaro

Frase autoritária para uma manifestação ordeira e democrática, Bolsonaro se mantém em campanha contra o os fantasmas que criou. Acha que o movimento foi de esquerda. Se nega a perceber que está dissolvendo sua base eleitoral e que não teve a maioria absoluta nas urnas.

A onda é menor que um tsunami.

Resumo do Brasil: Indícios da existência de “organização criminosa” no antigo gabinete de Flávio Bolsonaro, a reforma tributária e o ministro da Educação na Câmara.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta