A situação da situação

Na foto: Marcelo Álvaro Antônio - Ministro do Turismo

Curiosidade

Em um levantamento feito pelo jornal O Globo, Haddad venceu Bolsonaro. Entenda:

“Fernando Haddad, candidato à Presidência pelo PT derrotado por Jair Bolsonaro, do PSL, venceu com 82,47% dos votos entre os presos provisórios do país que puderam participar das eleições.”

Previdência

Ainda segundo O Globo, o regime de capitalização, nova forma de aposentadoria que deverá constar da reforma da Previdência a ser enviada pelo governo Bolsonaro ao Congresso, afetará, se aprovado, os futuros trabalhadores da classe média.

Uma das propostas que o governo avalia fixa patamar de 4.055 reais, a partir do qual o profissional passaria a poupar para sua própria aposentadoria. A capitalização só valeria para os nascidos a partir de 2014, que entrariam no mercado de trabalho depois de 2030.

Em 2030, se o governo conseguir aprovar a reforma previdenciária, quase todos os trabalhadores vão ganhar mais do que 4.055 reais, porque o Brasil vai crescer enormemente.

A situação

Integrantes do PSL procuraram Jair Bolsonaro para pedir a demissão do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, diz a Crusoé.

A reportagem ouviu uma mensagem gravada em que um membro do partido diz:

“O cara é um analfabeto político, não é do ramo, não tem um hotel, não tem pousada, não trabalha com isso, não tem nível superior e nem inglês sabe falar.”

Olha a situação da situação!

Presidência da Câmara

Rodrigo Maia disse a Andréia Sadi (G1) que não vai mais procurar o PT:

“A Gleisi diz que não vai me apoiar. Então, enquanto o PT não se resolver, eu não procuro mais o partido. Eu não posso tratar do apoio com a presidente de um partido que não quer meu apoio.”

E nem vai precisar, está pertinho da reeleição, inclusive, com o apoio do partido da renovação (PSL).

Conselhos ao filho

O general Hamilton Mourão impediu seu filho de renunciar ao cargo no Banco do Brasil.

Ele disse à Piauí:

“Obviamente que ele não está acostumado com isso, ficou chateado, pensou em não aceitar, em renunciar, por causa da repercussão. Eu disse pra ele: ‘Não, meu filho, isso aí é mérito seu e acabou, pô’”.

E também:

“Falei pra ele que não, negativo. ‘Isso é uma coisa que é sua, lhe pertence, e acabou.’ Não tem nada demais isso aí.”

Posse do Maduro

Cinco chefes de Estado prestigiam a posse de Nicolás Maduro: Miguel Díaz-Canel, de Cuba, Evo Morales, da Bolívia, Daniel Ortega, da Nicarágua, Salvador Sánchez Cerén, de El Salvador, Anatoly Bibilov, da Ossétia do Sul (país não reconhecido pela ONU).

Do Brasil, Gleisi Hoffmann.

Com informações: O Globo, Crusoé, G1, Piauí e O Antagonista

Publicidade

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta