WhatsApp: links falsos do auxílio emergencial chegam a 6,7 milhões de pessoas

Foto: reprodução

O aplicativo Caixa Auxílio Emergencial foi lançado na terça-feira, 7, mas há dias circulam no WhatsApp golpes envolvendo o benefício criado em meio à pandemia do novo coronavírus. Um deles atrai vítimas com um site parecido com o da Caixa e já foi enviado a 6,7 milhões de pessoas.

A informação é do dfndr lab, laboratório de segurança digital da PSafe, que acompanha o crescimento de cerca de 90 a 100 páginas criadas durante a pandemia. O golpe ligado ao Auxílio Emergencial costuma se espalhar de mensagens encaminhadas no WhatsApp.

Elas contam com um link que leva a uma página para os usuários responderem a perguntas como “você é beneficiário do Bolsa Família?”, que supostamente liberam o serviço. Em seguida, o site falso induz a vítima a compartilhar esse link com contatos e grupos, o que ajuda o golpe a crescer rapidamente.

Ao cumprir os requisitos, o usuário ainda é levado para um formulário, onde deve inserir dados pessoais, como nome, data de nascimento e telefone de contato. Como se não bastasse, os cibercriminosos ainda fazem a vítima visualizar anúncios, o que torna seus ganhos ainda maiores.

Segundo o dfndr lab, o principal objetivo nesse tipo de golpe é causar prejuízo financeiro. Com os dados pessoais das vítimas, os cibercriminosos tentam registrá-las em serviços pagos de SMS e roubar senhas de redes sociais e e-mail.

Como se proteger

Ao receber mensagens com supostos links de órgãos do governo, confira se o endereço tem a terminação “gov.br”. O Caixa Auxílio Emergencial, por exemplo, está disponível em https://auxilio.caixa.gov.br, além do aplicativo para Android e iOS.

Caso a mensagem conte com um link encurtado, como “tinyurl.com” e “bitly.com”, o mais recomendado é buscar pelo site no Google. Outro cuidado a ser tomado envolve as lojas de aplicativos, como a Google Play tore, que tem sugerido vários apps não-oficiais para o auxílio da Caixa.

Fonte: Tecnoblog

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta