Um governo em construção

As entrevistas de Bolsonaro

O presidente eleito Jair Bolsonaro concedeu entrevistas nesta segunda-feira (30). No total, falou por cerca de 90 minutos, ao vivo na Record, SBT e Globo, gravado com Band e RedeTV!.

Pontos

Disse que vai extinguir a TV Brasil e reiterou seu compromisso com a democracia. Ao ser questionado sobre ataques sofridos por homossexuais, por parte de alguns dos seus seguidores, afirmou que os agressores devem ter a pena agravada.

Sobre a imprensa, foi enfático ao dizer que veículos que não tiverem compromisso com a verdade, deixarão de ter apoio do governo, citando o jornal Folha de São Paulo, que inclusive – de certa forma -, foi defendido por William Bonner.

Mercosul

Desconfortos no bloco com as declarações do futuro ministro Paulo Guedes. No domingo (28), Guedes afirmou que a Argentina e o Mercosul não serão prioridade, que o futuro governo deve fazer negócios com o mundo todo.

Reforma da Previdência

Recém empossado como presidente do PSL, o deputado eleito Luciano Bivar, afirmou que ainda enxerga como possível que a reforma da Previdência seja votada esse ano. “Durante a transição de governo teremos mais detalhes da reforma e há a possibilidade de votar a reforma proposta por Temer”, disse ele à EXAME.

Comando do partido

Com a chegada de Bivar à presidência, Gustavo Bebianno volta a ser vice-presidente da sigla, e deve ser um dos nomes de Bolsonaro em seu governo.

Bebianno foi presidente do partido durante a campanha, e sua saída do comando faz parte de um acordo anterior.

Rodrigo Maia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), defendeu as propostas de Jair Bolsonaro para a economia. Em análise da campanha, disse que deveria ter apoiado Ciro Gomes (PDT) e não Geraldo Alckmin (PSDB). Rodrigo deve tentar a sua reeleição no comanda da casa.

Alckmin, Bolsonaro e Ciro? A “consistência” ideológica de Rodrigo é impressionante!

Governo em construção

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, fez nesta terça-feira (30), uma reunião para definir os nomes da sua equipe de governo.

Gustavo Bebiano, vice-presidente do PSL, falou com jornalistas, e ao ser questionado por uma jornalista sobre os nomes dos ministros, Bebianno respondeu: “Em torno de 15, mais ou menos. Já temos alguns nomes. Mas isso o presidente vai anunciar”.

Outra repórter pede a confirmação: “São 15 nomes ou 15 ministérios?” O dirigente responde: “São mais ou menos 15 ministérios. Os nomes que a gente já tem é mais ou menos metade disso daí.”

Governo em construção

Paulo Guedes, que deve assumir a pasta econômica, informou que o governo unificará as pastas da Fazenda, do Planejamento e da Indústria e Comércio Exterior, que passará a se chamar Ministério da Economia. Meio Ambiente e Agricultura também serão unificados, mas sem nome definido ainda.

Oposição

A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou nesta terça-feira (30) que Fernando Haddad será o articulador de uma frente democrática em defesa de “direitos do povo”, fazendo oposição ao governo de Bolsonaro.

O protagonismo na oposição ao governo deve ser disputado por Haddad e Ciro Gomes (PDT).

PDT, PSB e PCdoB (da vice de Haddad, Manuela D’Ávila) já discutem formar bloco de oposição ao governo.

Fonte: G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta