Sáude na Mesa: sobre o glúten

Foto: reprodução

Este é o vilão do momento, o item menos querido das dietas da moda e todos têm algo a falar sobre, muita gente com doença celíaca aparecendo e dietas radicais que excluem o consumo deste nutriente.

A pergunta que fica é: devemos mesmo restringir o consumo desta proteína?

O glúten é uma proteína encontrada nos grãos de trigo, centeio, cevada e malte e consequentemente nas preparações que contém estes ingredientes. Está associado a alimentos fonte de carboidrato, que contém vitamina B e açúcar.

Ao contrário do que está em voga no momento a alimentação isenta da proteína não deve estar atrelada ao controle de peso ou ser vista como prática saudável para este fim. A restrição do glúten deve se relacionar com o controle de alguma doença ou em caso de alguma reação adversa e esta prática deve ser adotada somente por pessoas que possuem diagnóstico ou através de recomendação médica, para que não haja nenhuma deficiência nutricional.

A retirada do glúten, de forma geral, está associada a redução de peso, pois ao reduzir e equilibrar a ingestão destes produtos, restringimos a dieta, reduzindo o consumo alimentar e com isso obtemos maior controle e consumo mais moderado de alimentos, o que está ligado a perda de peso e não pela ausência do glúten.

Em caso de doença celíaca a restrição deve ser feita após um diagnóstico médico da doença, sinais clínicos (diagnosticados) de sensibilidade ao glúten ou ainda no caso da alergia ao trigo, sua ingestão bem como as das preparações que contenham a proteína deve ser evitadas e a dieta deve ser adaptada a esta restrição.

Somente a retirada do glúten do dia a dia de forma indiscriminada, sem diagnóstico apropriado e com a finalidade de perda de peso corporal não tem respaldo da ciência.

Caso possua a necessidade de restringir o consumo desta proteína, sabemos que a doença celíaca não tem cura, porém assim que o nutriente for excluído da alimentação os sintomas já começam a desaparecer melhorando a qualidade de vida de quem é acometido por esta doença.

Lembrando que é uma condição que necessita receber atenção para o resto da vida.

1 Comentário

  1. GLÚTEN É UM VENENO! ou alguém conseguiria refutar o Dr. Lair com estudos científicos???

Deixe uma resposta