Quatro votos a favor da criminalização da homofobia

Não foi nesta quinta-feira, 21, mas mais um passo foi dado em favor da criminalização da homofobia.

Os ministros Edson Fachin e Alexandre de Moraes seguiram os passos Celso de Mello e Luís Roberto Barroso, fazendo que o placar no STF seja de quatro a zero a favor de que a homofobia seja considerada crime e que seja reconhecida a obrigação do parlamento de aprovar uma lei sobre o tema.

A sessão foi suspensa, pela segunda vez.

Que os próximos ministros tenham o mesmo entendimento, para que no futuro ouvir coisas do tipo: “Não vou combater nem discriminar mas, se eu vir dois homens se beijando na rua, vou bater” ou “Não existe homofobia no Brasil. A maioria dos que morrem, 90% dos homossexuais que morrem, morrem em locais de consumo de drogas, em local de prostituição, ou executado pelo próprio parceiro”, fiquem apenas na história como um tempo obscuro.

Que surja no horizonte um arco-íris dos livres, dos iguais, dos humanos.

A bandeira estará sempre hasteada!

1 Comentário

  1. A bandeira do respeito é que deve ser erguida , independente de opcao sexual .

Deixe uma resposta