PSD buscando recuperar os espaços perdidos

Foto: redes sociais

Num passado não tão distante, o PSD era o grande partido de SC, incluindo Blumenau e região. Aqui na cidade tinha o prefeito João Paulo Kleinübing, vereadores com votações expressivas (entre eles, Mário Hildebrandt) e os deputados Jean Kuhlmann e Ismael dos Santos.

Vieram as eleições de 2012 e 2016 e o partido foi encolhendo, depois de duas derrotas. O ex-tucano Napoleão Bernardes migrou para a sigla em 2019, mas atua internamente com prudência nestas eleições municipais, buscando viabilizar-se para um projeto estadual em 2022.

Restou ao deputado Ismael dos Santos tentar reconstruir a sigla na região e é o que tem feito, num estilo formiguinha, buscando parcerias de olho no futuro, não cobrando protagonismo e oferecendo em troca um projeto de médio prazo.

Recentemente, uma comitiva da sigla, que teve, além de Napoleão e Ismael, o presidente estadual Milton Hobus e o deputado federal Darci de Mattos, visitou o prefeito de Indaial, André Moser (PSDB). Lá o vice é do PSD, mas simbólica foi a presença do ex-prefeito Serginho, que deixou o MDB depois de anos e pode ser a novidade no partido na cidade, apoiando o prefeito tucano no projeto de reeleição.

Em Gaspar, o PSD tem tudo para indicar o candidato a vice na chapa do prefeito Kleber Wan-Dall (MDB), o ex-vereador Marcelo Brick, que foi o segundo mais votado na eleição de 2016. O namoro já está bem avançado, leia aqui,

Em Blumenau, o partido tenta construir uma nominata de vereadores sem figurões, mas com potencial médio de mil, mil e quinhentos votos, como alguns suplentes e candidatos na eleição passada por outras siglas.

Para a majoritária sonha com o prefeito Mário Hildebrandt, apostando que ele possa retornar para o partido que o elegeu duas vezes vereador.  O convite foi feito e, pela conjuntura, pode ser um caminho para o projeto de reeleição caso a opção seja um partido tradicional.

Garantiria Fundo Eleitoral e tempo de televisão. E ainda teria Napoleão Bernardes como cabo eleitoral.

1 Comentário

  1. Esse partideco é mais conhecido como o Partido dos Seguidores da Dilma ou Partido Sem Direção.

    Pergunto: para onde segue esse arremedo de partido?
    Respondo: para lugar algum, pois é o Partido Sem Direção.

Deixe uma resposta