Os nomes e as acusações contra os 11 presos na Operação Alcatraz

reprodução TV

Continua fervilhando nos meios políticos e do setor público catarinense, a decisão de mandar prender 11 pessoas e  cumprir mandatos de busca e apreensão na Operação Alcatraz, realizada nesta quinta-feira, 30, na capital. S responsável foi a juíza federal Janaína Cassol Machado, atendendo pedido da Polícia Federal..

Entre os presos mais graúdos, aparecem Nelson Castello Branco Nappi Júnior, que foi secretário estadual adjunto de Administração na gestão de Raimundo Colombo (PSD) e em 2018 com Eduardo Pinho Moreira (MDB) e Luiz Ademir Hessmann, ex-prefeito de Ituporanga e presidente da Epagri até fevereiro deste ano. Eles, mais um servidor público, uma advogada e quatro pessoas ligadas a empresas de tecnologia tiveram as prisões preventivas decretadas.

Na prisão temporária, estão quatro ex-servidores comissionados, todos ligados a áreas de tecnologia da Secretaria de Administração e Epagri.

Todos são acusados de cometerem fraudes em licitações e crimes tributários.

A juíza cita Nelson Castelo como o mandante do esquema. “Era um dos principais articuladores e operacionalizadores das empreitadas criminosas, todas voltadas à lesão do erário e vantagens ilícitas em favor dos envolvidos”, disse na sentença. Nelson ocupava o cargo de diretor de tecnologia da Assembleia Legislativa, levado pelo presidente, deputado Julio Garcia (PSD), que é citado na sentença e teve mandado de busca e apreensão deferido pela magistrada.

Confira os nomes de todos envolvidos e as acusações aqui: 1_DECISAO_6

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta