O presidente e o relator da reforma da Previdência, inquérito sobre a facada em Bolsonaro e a viagem do vice ao Piauí

Na foto: o deputado Marcelo Ramos (PR-AM) e o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP)

Presidência e relatoria da reforma

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, anunciou nesta quinta-feira (25) que o deputado Marcelo Ramos (PR-AM) vai presidir a comissão especial para analisar a proposta da reforma da Previdência. Samuel Moreira (PSDB-SP) vai ser o relator do texto.

“Trabalhar pelo país”

Depois de ter sido confirmado como presidente da comissão especial, Marcelo Ramos disse a O Antagonista que vai “trabalhar pelo país”.

“Vamos trabalhar pelo país. Mais do que se envaidecer, é ter noção do nível de responsabilidade com o país, ter serenidade, sabedoria, capacidade de diálogo e fazer o país andar, que é o que precisa.”

Ruim de acreditar

Difícil para nós – brasileiros – é acreditar que o projeto é positivo, ainda mais depois das emendas parlamentares prometidas pelo Executivo e o sigilo dos dados que sustentam o texto.

Aprovar e depois provar. Fica ruim de acreditar.

Inquérito sobre a facada em Bolsonaro

A Polícia Federal enviou ao Ministério Público de Juiz de Fora, cidade mineira em que o atentado aconteceu, o inquérito sobre a facada em Jair Bolsonaro no ano passado.

Além de investigar a vida de Adélio Bispo, a PF tem usado o inquérito para tentar descartar teorias difundidas na internet sobre o crime.

Uma das teses – já refutada pelos investigadores – diz que Adélio Bispo teve ajuda de outras pessoas. Diversos vídeos abordando o tema circulam em redes sociais, com versões variadas.

Até o momento, as investigações permanecem apontando para a atuação de Adélio sem ajuda de outras pessoas. O agressor já foi diagnosticado com transtorno delirante grave.

Com informações: G1

Mourão com o PT

Segundo o Lauro Jardim, do jornal O Globo, o vice Hamilton Mourão embarca nesta quinta-feira (25) para o Piauí. Além de outros compromissos, vai se reunir com o governador do estado, Wellington Dias, do PT.

Para evitar novo problemas com o “chefe”, Mourão pediu permissão ao presidente Jair Bolsonaro. Ouviu que poderia ir, mas com alguns cuidados a serem tomados: nada de fotos com o governador e nem declarações à imprensa sobre temas espinhosos.

Resumo do Brasil: o presidente e o relator da reforma da Previdência, inquérito sobre a facada em Bolsonaro e o vice visita governador do PT, com ressalvas, mas autorizado pelo “chefe”.

 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta