O mal estar provocado pela “Corte do Governo” na Oktoberfest Blumenau

Foto: Facebook governador Moisés

A passagem do governador Carlos Moisés (PSL) e sua comitiva por Blumenau causou alguns desconfortos que circulam nos bastidores da política local.

Poucos dias depois de confirmar que o Governo não faria o aporte financeiro que o Estado sempre fez para a festa, a maior do Estado e a maior do gênero na América – lembrando que foi aportados recursos públicos em eventos de outras cidades -, a comitiva do governador – e da vice Daniela Reihner – chamou a atenção pela quantidade de pessoas, exigências e a constante preocupação com a segurança.

A festa na abertura é gratuita, mas para circular em alguns lugares especiais no Parque Vila Germânica, como as áreas reservadas para autoridades e o camarote oficial,  exige-se a famosa fitinha de pulso, as credenciais.

Na tribuna da Assembleia e nas redes sociais, o deputado estadual Ivan Naatz (PV) disse que a comitiva teria solicitado à Prefeitura 60 credenciais para acesso de integrantes da cúpula do governo na festa, sendo 21 destas para o gabinete da vice-governadora Daniela Reinehr.

Não consegui apurar se foi este o número, pois o povo da Prefeitura evitou falar abertamente sobre o assunto, mas gerou mesmo desconforto e a quantidade de solicitações foi realmente grande.

Depois da abertura oficial, mesmo com o número limitado para as autoridades, entre eles os embaixadores convidados, alguns representantes da comitiva ignoraram as restrições do camarote oficial, em especial os seguranças.

E também foi visível a a intromissão do staff  do governo- ou a tentativa de – no cerimonial da festa, comandado pela competente e experiente Marili Martendal e a circulação dos seguranças dos representantes do Governo.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta