O acordo e os riscos de mais uma greve nos ônibus de Blumenau

Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau

Os trabalhadores do transporte coletivo de Blumenau realizaram três assembleias gerais nesta quarta, 25, para avaliar a proposta patronal referente ao acordo coletivo da categoria. E aceitaram, o que pode indicar um clima de tranquilidade, pelo menos no que diz respeito as negociações referentes a data base.

Certo? Errado!

As informações são desencontradas e conflitantes. Vários atores e muitas versões.  Rodovel, Verde Vale, os interventores e a cúpula do governo Napoleão Bernardes (PSDB), além dos interesses difusos que envolvem a empresa Glória, de um lado. Do outro um sindicato forte e uma categoria mobilizada. No meio, claro, o usuário, que sofre com um serviço de qualidade apenas razoável e com as constantes paralisações.

Acompanhei de perto a primeira e a última assembleia dos trabalhadores, pela  manhã e a tarde, de um total de 3.

Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau
Foto: Alexandre Gonçalves/informe Blumenau

Conversei com o pessoal da Prefeitura que está na linha de frente da negociação. Tive acesso a documentos confusos e contraditórios.

As versões

O que o sindicato apresentou para a categoria nas assembleias não é a mesma coisa que o texto patronal recebido no dia 19, quinta-feira passada, único papel que tive acesso com as propostas formalizadas. Depois existem algumas troca de e mails. Também me falaram de conversas a pé de ouvido e promessas no fio de bigode, que para mim não vale.  E aí entram as versões, com todos os lados afirmando ter havido alterações em alguns pontos, mas sem apresentar um papel formal e completo.

Já está claro uma lambança feita por quem representa o Consórcio Siga ( dando nome aos bois: o pessoal da Prefeitura) e bota lambança nisto. Se deram conta e buscaram a correção tardiamente, perto das 16h, quando a  segunda assembleia chegava ao fim. Os negociadores das empresas mandaram um documento retificador a proposta apresentada no dia 19, casualmente no que diz respeito a um dos três itens que mais pegam nesta negociação.

A retificação diz respeito a jornada de trabalho. Na proposta do dia 19,  está escrito :  jornada de trabalho para todos de 42 horas semanais. No caso, jornada de 7 horas diárias.

Documento sindetranscol

Hoje, depois dos trabalhadores já terem feito duas assembleias e aprovado as propostas, veio uma correção, que segue na íntegra :

Em virtude disso, vimos retificar o item 3 de nossa proposta patronal referente a negociação 2015/2016 em relação a jornada de trabalho de modo que a redação seja a seguinte:

  1. A jornada de trabalho de todos os funcionários é de 220 horas mensais ou 44 horas semanais.
  2. No caso dos motoristas, a jornada de trabalho diária, que é de oito horas, deve respeitar o período máximo de 07 (sete) horas na direção

Oi? Conversando, entendi.

O Sindetranscol recebeu  e mails da direção da Verde Vale e da Rodovel concordando com o pedido dos trabalhadores e deu como proposta oficial. Não deixa de ser, afinal são os representantes legais habilitados. Consorcio Siga - empresas

Outras duas questões que pegam e , que em tese, foram aprovadas nas assembleias dos trabalhadores, são o aumento da multa quando o salário atrasar e o compromisso de pagar o FGTS em dia a partir de maio de 2016.

Resumo. Das três empresas do Consórcio Siga, duas concordaram.  A maior, Glória, hoje comandada provisoriamente pela Prefeitura, não.

Os argumentos atuais dos que comandam a negociação são plausíveis, mas os trabalhadores não tem razões para dar um voto de confiança.  Nem os usuários.

É preciso ter clara a responsabilidade da administração de Napoleão Bernardes neste episódio, ao permitir a troca de dono da Glória sem uma análise mais rigorosa. Sem falar que quando vereador, o prefeito e seu partido afiançaram a formação do Consórcio Siga, na gestão de JPK ( PSD).

A proposta aprovada

Seguem as principais pontos aprovados nas três assembleias realizadas pelo Sindetranscol.

Transformar o acordo coletivo em negociação coletiva

Reposição de 10, 33% referente a inflação, + 0,67% de ganho real

Vale Alimentação –  R$ 530 agora, R$ 550 em fevereiro de 2016 e R$ 580 em junho de 2016

atraso salário – de 2 para 3% – ( Valores pagos pela empresa que atrasar salário_

FGTS: Garantir o recolhimento permanente a partir de maio

Jornada Trabalho – 42 horas semanais, para todos.

Para quem quiser, segue o documento encaminhado pelos negociadores patronais para o Sindetranscol: NEGOCIAÇÃO 2015-2016

 

1 Comentário

  1. FGTS: Garantir o recolhimento permanente a partir de maio.
    Este idem da pauta é uma afronta as leis trabalhistas , todos estão assumindo que não recolhem o FGTS do trabalhador e o Sindicato abona este tipo de acordo porque ? No mercado corporativo , empresas só ficam na situação do SIGA por duas questões : – Mercado ou má administração . Sabemos que o problema não é mercado , só resta má administração , e nesta caso , a Prefeitura e o SETERB são responsáveis , pois não efetuaram a fiscalização ,ou se fizeram , fecharam os olhos por algum motivo . Cabe um processo de Improbidade administrativa sim , pois quem paga a conta são os trabalhadores da empresa e os usuários do transporte coletivo . Ainda dizem que a intervenção foi um ato de coragem , coragem de quem?

Deixe uma resposta