No trabalho e na vida, as marcas de Blumenau

Foto: Eraldo Schneider/Secom PMB

Jean Kuhlmann

Deputado estadual (PSD)

 

Curioso como a terra da gente, o nosso berço, o local que forma nossa maneira de ser e trabalhar, acaba impregnando no nosso dia-a-dia e nas nossa preocupações. Em junho último, o Vale começou a sofrer com uma enchente. Imediatamente, vieram-me a mente as imagens que marcaram minha infância – a água subindo na Rua Primeiro de Janeiro e levando parte da vida de nossos vizinhos, da nossa comunidade.

A experiência de vida, claro, me deixou sensível à situação. Essa relação com o berço também me aproximou da vida pública. Aos 22 anos, participei da criação da Associação de Moradores da Rua Primeiro de Janeiro. Minimizar os alagamentos e cobrar a pavimentação da rua, desafios que marcaram minha formação de vida, foram grandes lutas encampadas.

Os jovens que cresceram neste novo século procuram mudar Blumenau à sua maneira, apostando nos coletivos, na força do voluntariado, com uma mentalidade aberta ao novo. Mas não desprezam a herança que a cidade lhes deixou. Olham para o Rio Itajaí-Açu como um espaço que precisa ser reaproximado de nossa comunidade, querem uma cidade com maior qualidade de vida e cidadania.

Encaram nossa cultura como algo vivo, que mantém a tradição dos alemães mas se abre às novas influências.

Blumenau está na vida da gente em vários detalhes. Disposição para acordar cedo, para o trabalho, para ouvir a comunidade. A garra com que buscamos os objetivos. O melhor é ver que a cidade sempre passa um pouco de seu jeito para quem decide viver aqui – os que vieram de todo o Vale, do Litoral e do Oeste de Santa Catarina.

Há quem chegou do Rio Grande, do Paraná, de São Paulo. Tem quem vem de Pernambuco, da Bahia, do Rio Grande do Norte. Tem paraense, amazonense, mato-grossense, e muitos moradores que emigraram de outros países.

Basta fincar raízes, para assumir um compromisso: tornar nossa terra cada vez mais forte, bonita e encantadora.

De braços abertos, Blumenau recebe todos. E transforma não apenas a minha história, mas a de cada um que a escolheu.

Por isso, celebrar mais um aniversário da cidade em que eu nasci e vivo é sempre um grande prazer, e um privilégio. Parabéns pelos seus 167 anos!

Foto: Eraldo Schneider/Secom PMB

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta