Justiça nega mandado de segurança da Blumob e busca conciliação para evitar demissões

Foto: Marcelo Martins/PMB

Lilia Leonor Abreu, Desembargadora Federal do Trabalho, negou o mandado de segurança impetrado pela Blumob contra a liminar que suspendeu as demissões que a empresa começou a fazer no dia 26 de julho. O número de demitidos não é oficial, mas o Sindetranscol afirma que são 450 trabalhadores, quase metade da mão de obra do transporte coletivo de Blumenau.

Ela referendou a decisão do juiz substituto, Oscar Krtotz, no dia 31. O juiz mandou reintegrar os funcionários demitidos, mas com a suspensão destes contratos por 15 dias  para buscar-se uma negociação, além proibir novas demissões nos próximos 30 dias.

No sábado, quase uma semana depois da sinalização da Blumob sobre as demissões, houve uma assembleia do trabalhadores no Terminal da Fonte, que deu poderes para a diretoria do Sindetranscol negociar com a empresa alternativas, como a redução jornada de trabalho com a consequente diminuição de salário.

Na segunda-feira, 03 o Sindetranscol disse que protocolou ofício na empresa informando o resultado da assembleia e o interesse na continuidade da negociação. A resposta da empresa veio no mesmo dia, dizendo que “buscou a solução negociada e, agora, aguarda a designação da audiência para segurança jurídica.”

Mais um impasse para ser resolvido pela Justiça, lembrando que a negociação da data-base de 2019 está sob judice.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta