Impressões sobre o ato da coligação SC Quer Mais em Blumenau

Foto: Fernando Krieger/Informe Blumenau

Acompanhei atentamente o ato da coligação SC Quer Mais em Blumenau, realizado na noite de quinta-feira, 30, na Rivage em Blumenau e trago algumas impressões.

O evento contou com os quatro representantes da chapa majoritária e de candidatos a deputados da região, todos com muita empolgação.

Foto: Fernando Krieger/Informe Blumenau

Além deles, outras lideranças estiveram presentes, como os prefeitos de Blumenau, Mário Hildebrandt (PSB), de Indaial, André Moser (PSDB) e de Gaspar, Kleber Wan-Dall (MDB) e os senadores Dário Berger (MDB) e Dalirio Beber (PSDB).

Havia uma expectativa que Mário Hildebrandt usasse a palavra, mas não aconteceu.

Antes de nada, o adiantado da hora – as falas começaram cerca de 20 horas e os últimos discursos foram perto das 22h – e os eventos que aconteceram antes em Gaspar e Indaial, diminuíram o público presente. O candidato ao Senado Paulo Bauer chegou a falar em mais de duas mil pessoas, mas não tinha nem mil e, na hora do discurso final, de Mauro Mariani (MDB), este número era em torno de 300 pessoas.

Nas falas dos candidatos a proporcional, o candidato à reeleição para deputado federal, Rogério Mendonça Peninha (MDB), fez um mini comício. Ao contrário dos colegas que falaram um minuto ou menos que isso, Peninha fez um discurso mais longo e terminou destacando o direito do cidadão ter uma arma de fogo.

Em muitas das falas, foi destacado o futuro político que o candidato a vice, Napoleão Bernardes (PSDB), tem pela frente. Em todas, a importância da presença dele na  chapa majoritária e a atuação de destaque que terá, em caso de vitória da coligação.

Alguns deram um jeito de criticar o que consideram falta de harmonia na principal chapa adversária, a de Gelson Merisio (PSD), que supostamente não tem uma boa relação com João Paulo Kleinübing (DEM) e vice e versa. “A gente se gosta”, disse Mauro Mariani.

O candidato a senador da outra chapa, Esperidião Amin (PP), foi citado nominalmente por Dário Berger, que lembrou que toda a família do candidato concorre neste ano – além de Esperidião, a esposa é candidata a deputado federal e o filho a estadual.

Paulo Bauer fez uma fala daquelas ensaboadas para justificar o fato do PSDB abrir mão da candidatura própria, projeto que foi defendido como irreversível pelos tucanos nos últimos anos.

Napoleão Bernardes novamente destacou sua trajetória política precoce, homenageou sua mãe e esposa e destacou as ações da Prefeitura em sua gestão e defendeu o voto em Mauro Mariani; “É um político completo!”

Mauro Mariani em sua fala, cometeu um ato falho: “Napoleão sonhava em ser senador e eu disse para ele. Senado é coisa para velho, vem tocar o Governo comigo”, disse, para depois falar que era brincadeira.

Dois discursos foram na linha da vitória ainda no primeiro turno, assunto para outra postagem.

O Informe Blumenau esteve presente no ato – assim como esteve no ato do PT e da coligação Aqui é Trabalho – e transmitiu ao vivo pelo Facebook e você pode acompanhar aqui.

 

 

1 Comentário

  1. Blumenau sem representatividade política , vice já é muito pelo que fez pela cidade …nada .

Deixe uma resposta