Dezenas de crianças têm pedido de Natal atendido

Foto: Nathália Heidorn

Com a aproximação do Natal, os bons sentimentos tomam conta do coração da maioria das pessoas. Com a Unimed Blumenau não foi diferente, colaboradores, médicos cooperados e familiares voluntários, se uniram nesta quinta-feira (13), para deixar o Natal de dezenas de crianças mais feliz. A cooperativa promoveu pela quinta vez a ação “Cartinhas de Natal”, uma iniciativa interna que busca atender aos pedidos de presentes de algumas crianças carentes de Blumenau.

Este ano, a escola selecionada foi a EEB Professora Áurea Gomes, no bairro Salto do Norte. Os voluntários da Unimed Blumenau adotaram cerca de 120 cartinhas e deixaram o Natal dessas crianças mais especial. A entrega dos presentes foi dividida em dois momentos, no período da manhã para as turmas de 1º, 3º e 5º ano, e à tarde foi a vez dos alunos do 2º, e 4º ano.

“Esse tipo de voluntariado enche o nosso coração e o das crianças de amor, esperança e carinho. Muitos alunos não têm a oportunidade de receber um presente de Natal, para alguns, esse momento é a possibilidade de ter um Natal com a alegria de um presente, brinquedo e amor. Gratidão é a palavra que posso usar por toda essa ação. A nossa escola não tem grande arrecadação financeira, o que não nos permite presentear os alunos e a Unimed Blumenau está aqui para fazer esse sonho possível”, conta a diretora da EEB Professora Áurea Gomes, Marlise Jost Pereira.

A analista de responsabilidade social da Unimed Blumenau, Flávia Regina Moraes Giacomozzi, explica que, “a ação “Cartinhas de Natal” é muito importante para a cooperativa, pois possibilita aos cooperados, colaboradores e familiares sentimentos bons, além de despertar o trabalho em equipe. A sensação de estar ajudando o próximo, que também é um dos princípios do cooperativismo, é mágica e única”. “Estamos muito felizes e realizados com o resultado da ação de hoje, gostaríamos de agradecer todos os voluntários, alunos e professores da escola que fizeram desse momento único e especial”, conclui Flávia.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta