Como fica o PSL após a saída de Bolsonaro?

Fotos: reprodução

Como fica o PSL após a saída de Bolsonaro?

Nesta terça-feira, 12, o presidente Bolsonaro deve informar a aliados, que deixará o PSL.

Ainda para se manter “vivo” sem a figura do presidente, o PSL aguarda a saída espontânea da família Bolsonaro para prosseguir nas conversas de fusão com o DEM, partido dos dois presidentes das Casas Legislativas, Rodrigo Maia, da Câmara e Davi Alcolumbre, do Senado.

O problema? Rodrigo Maia tem a preocupação sobre a posição da parte do PSL em relação ao Governo e como Bolsonaro vai tratar o PSL após a saída.

Luciano Bivar (PE), presidente do PSL, tem feito gestos nos bastidores a Rodrigo Maia. Tem repetido que a bancada, mesmo com a eventual saída de Jair Bolsonaro, seguirá como “sempre foi”: liberal, com agenda econômica clara. A ideia é deixar claro ao presidente da Câmara que o partido não será oposição ao governo.

Superado isso, serão apenas um.

A construção do novo partido de Bolsonaro pode sofrer resistência

O PSL vai tentar impedir a criação do novo partido do presidente Bolsonaro antes de março de 2020, a tempo das eleições municipais.

A sigla deve expulsar e pedir o mandato de parlamentares que apoiarem a criação, inclusive, incentivar suplentes a fazer o mesmo. Em outra frente, o PSL deve montar uma força-tarefa para impugnar as assinaturas que forem apresentadas nos cartórios eleitorais.

Do lado do presidente, não acreditam na concretude das ações, vão divulgar a coleta de assinaturas através das redes sociais.

Com informações: G1 e Folha.

1 Comentário

  1. Tudo farinha ruim do mesmo saco, ninguém pensa no país , só pensam neles mesmos .

Deixe uma resposta