Arquiteto responsável defende projeto do mercado público de Blumenau e alega que o problema é o plano de negócios

Imagem: Terra Arquitetura

O novo mercado público parece uma daquelas coisas encantadas em Blumenau. Nesta quarta-feira, novo revés, pois não apareceram interessados na licitação para construir e administrar o espaço na esquina do Parque Vila Germânica, em frente ao Galegão.

Uma novela que se arrasta desde 2007, quando foi feito um concurso público nacional de arquitetura para realizar o projeto, vencido pela Terra Arquitetura, escritório do arquiteto Christian Krambeck.  Em 2018, a ideia de tirar o mercado do papel foi retomada e remodelada, quando Mário Hildebrandt ainda era vice-prefeito e Ricardo Stodieck secretário de Turismo.

Para o colega Pedro Machado, do Grupo NSC, o secretário de Turismo e Lazer, Marcelo Greuel, anunciou que o  edital vai passar por alterações para ser republicado, mas com alterações para que tenha viabilidade econômico-financeira  para os interessados.

Para o Pancho, do Pancho.com.br, o secretário sinalizou mudanças no projeto arquitetônico e até contratação de outra proposta.

Christian defende sua proposta, lembrando que o concurso teve a participação de vários interessados, com trabalhos de muita qualidade. “Precisamos vencer a mediocridade”, afirma, questionando o plano de negócios apresentado pela Prefeitura na licitação e garantindo que vai brigar para manter a proposta original.

O debate, segundo Christian, deve estar focado no plano de investimentos ou no modelo de gestão apresentado na licitação, não no projeto já aprovado.

 

 

 

1 Comentário

Deixe uma resposta