A posse dos eleitos em Blumenau

Foto: Informe Blumenau

Foi cansativa a posse dos eleitos de outubro, realizada nesta domingo, dia 1º de janeiro de 2017. Neste calor escaldante do verão blumenauense, durou cerca de três horas, um exagero.

A começar pela “benção religiosa” feita por quatro igrejas diferentes. Os dois primeiros pastores que falaram deram uma conotação muito mais política do que religiosa em suas falas. Desnecessário.

Também teve o discurso dos 15 vereadores eleitos, com tempo máximo de cinco minutos, extrapolado por alguns.

Como não poderia deixar se ser, foram falas emocionadas, de agradecimentos, muitos agradecimentos. Achei todos os discursos muito iguais. O que mais me chamou a atenção foi o de Ricardo Alba (PP), vereador iniciante. Ele falou sobre um novo ciclo da política e dar um novo significado a política.

É o que esperamos.

Oldemar Becker (DEM), vereador reeleito, falou que seu papel não é falar bonito e sim atender os pleitos dos moradores de Blumenau junto à Prefeitura. Despediu-se desejando Feliz 2017 e um Feliz Natal.

Depois foi a vez do vice prefeito Mário Hildebrandt (PSB). Mais uma vez deixa claro que terá papel central na segunda administração tucana. Novamente fez questão de lembrar sua chegada em Blumenau, na década de 1990, relacionando com sua trajetória desde lá.

Na próxima quinta-feira, Hildebrandt assume a Prefeitura durante 15 dias, nas férias do titular. Na linha sucessória municipal é a bola da vez, até pela condição natural. Resta saber se será no ano que vem ou em 2020.

Para fechar, o prefeito eleito Napoleão Bernardes (PSDB) e seu dom da oratória. Não falou as coisas que eu queria ouvir, como escrevi esses dias, mas também não achei que falaria. Repetiu o discuso da crise nacional e os impactos na Prefeitura.

No entanto, Napoleão falou coisas que me agradam, pois ele não desqualifica a política:  “Tenho o entendimento de que a politica é um instrumento da sociedade para a transformação da própria sociedade”, disse o prefeito de apenas 34 anos, que assume o segundo mandato na terceira cidade mais importante de Santa Catarina.

Ouvi algo parecido quando o agora prefeito de segundo mandato assumiu seu primeiro mandato como vereador e desde então percebo nele um político diferenciado. Ele fala da política de boca cheia, mesmo reconhecendo que pode ser utopia.

Foi ovacionado ao final do discurso.

Foto: Informe Blumenau

Quem quiser acompanhar o discurso dele pode olhar o Facebook do Informe, pois fizemos uma transmissão ao vivo.

Nesta segunda-feira, Napoleão reúne a equipe do primeiro mandato para determinar as diretrizes dos primeiros 30 dias, dos quais em 15 estará de férias. Já escrevemos sobre a reunião aqui.

Esta solenidade de posse foi presidida pelo vereador mais votado, Marcos da Rosa (DEM) e teve o segundo mais votado, Bruno Cunha (PSB), como secretário.

Foto: Informe Blumenau

 

2 Comentário

  1. Pompas e mais pompas pagas com dinheiro do povo, porque não utilizaram o plenário da câmara ?
    Quanto as falas dos vereadores , foi tudo de boca para fora , pois logo em seguida elegeram a nova mesa diretora e novamente elegeram outro investigado na operação tapete negro . Falar é fácil…

  2. Sempre (sempre?) se misturará política com religião, pois isso traz voto.

    Como o Estado Brasileiro é laico, não se deveria permitir discursos religiosos, ou, então, dever-se-ia permitir que TODAS as seitas religiosas se fizessem presentes. Até aquelas que cortam as gargantas de quem não professa as suas. Credo! (e vai ter alguém que irá interpretar isto à letra!).

    Parabéns ao prefeito reeleito e que tenha muito sucesso, pois o sucesso dele será o nosso sucesso.

    Aproveitando, que os distintos edis nos representem condignamente.

    Abraço e fiquem com DEUS, que é Luz e Nele não há trevas.

Deixe uma resposta