Toma lá…

Fernando Krieger, colaborador voluntário *

Estudante de Filosofia

 

Se Michel Temer tem uma meta, essa meta é a aprovação das reformas.

Em mais um passo para garantir a todo custo a aprovação da Reforma da Previdência, Michel se reuniu ontem, 08, com seus ministros, para que priorizem a distribuição de recursos à cerca de 330 deputados, para que eles banquem obras e projetos nas suas bases eleitorais.

A estimativa do governo é que cada parlamentar receba até o final do ano uma média de R$ 6 milhões. Os recursos serão liberados nas próximas três semanas.

Essa é a estratégia do governo, dinheiro nas mãos dos deputados que votarão a favor das reformas, para agradar o povo em suas bases que são contrários às medidas.

Velha estratégia, mas pode se mostrar eficaz.

E os que traíram o governo?

Esses ficariam com seus recursos represados até o final do ano, prazo final para que o governo pague as emendas propostas pelos deputados.

Ação será igual para aqueles que votaram contra as reformas.

O desespero do governo é aparente, sabe-se que a base não tem votos suficientes para a aprovação. São necessários 308 votos.

Nas ações para garantir a vitória, Michel já distribuiu novos cargos e demitiu os indicados daqueles que votaram contra seus projetos.

Toma aqui uns recursos, mas preciso de uns votinhos.

Já vi isso em algum lugar…

Ou estou errado?

Para ler outros textos do Fernando Krieger, leia aqui.

1 Comentário

  1. Infelizmente nosso pais tem carência profunda de políticos com dignidade.

Deixe uma resposta