Senado aprova reajuste salarial do STF

Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado

Reajuste

Por 41 votos a favor e 16 contra (1 abstenção), foi aprovado no Senado nesta quarta-feira (08), o aumento de 16,38% para os salários dos 11 ministros do STF e do procurador-geral da República (no cargo Raquel Dodge). O impacto nas contas públicas pode ser R$ 4 bilhões a R$ 6 bilhões por ano.

Efeito cascata

O aumento deve ter efeito em todos os níveis do funcionalismo público, que agora tem um teto de R$ 39,2 mil, que será o salário dos ministros, se o reajuste for aprovado pelo presidente Michel Temer – duvida?

Como votaram os senadores catarinenses

Os senadores catarinenses Dalirio Beber e Paulo Bauer, ambos do PSDB, votaram a favor do reajuste, Dário Berger, do MDB, faltou a sessão.

Reforma da Previdência

Governo Bolsonaro tem pressa em colocar as suas medidas em ação. Segundo o Painel da Folha, o futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, recrutou um grupo influente da velha guarda da Câmara para votar a Reforma da Previdência ainda este ano. Eles avaliam a proposta apresentada por Temer e os estudos da equipe do novo governo.

Viagens

Temer convidou Jair Bolsonaro para acompanha-lo em viagens internacionais até o fim do ano. O presidente eleito ainda não respondeu ao convite. Tem Guatemala, Chile e Argentina, um dos eventos é a reunião do G20 (30 de novembro e 1 de dezembro em Buenos Aires).

Aceno

O presidente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), Robson Braga Andrade, fez um aceno ao novo governo, elogiando a proposta da “superpasta” da economia.

Equipe Econômica

Jair Bolsonaro revelou nesta quarta-feira (08) que Paulo Guedes está em vias de anunciar a sua equipe econômica. Goldfajn pode ficar no Banco Central, mas o presidente eleito disse que a decisão é do seu futuro ministro.

Ministério do Trabalho

Confirmado a extinção do Ministério do Trabalho, a pasta, que tem 88 anos, será incorporada em outros comandos.

Ministério da Agricultura

Por indicação dos ruralistas, Jair Bolsonaro – em sua conta no twitter – confirmou o nome da deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS) como ministra da Agricultura. Atual presidente da Frente Parlamentar Agropecuária do Congresso Nacional, conhecida como a bancada ruralista, Tereza Cristina foi indicada pela FPA para o cargo. Ela é engenheira agrônoma e empresária.

No Congresso, Tereza Cristina foi uma das principais defensoras do projeto que muda as regras no registro de agrotóxicos.

Informações: G1

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta