A privatização da FURB seria uma solução?

Foto: Jessica de Moraes/CMB

A proposta é do vereador Sylvio Zimmermann (PSDB), que usou a tribuna da sessão da Câmara Municipal da última quinta-feira e também o microfone na Rádio Clube nesta segunda-feira, 16, para defender a ideia.

Na verdade, ele fala em discutir o modelo da universidade, inclusive citando a possibilidade de privatizá-la. “Eu não sei o modelo, mas precisamos debater.  Qual é o futuro da nossa Universidade Regional? Como a FURB vai sobreviver? É uma Fundação Pública Municipal, em caso de insolvência terá impactos na administração pública municipal como um todo”, afirma o vereador tucano.

Ele apresenta dados sobre o número de alunos. Hoje seriam 8 mil estudantes, com a possibilidade de fechar o ano com 7, 5 mil alunos, destacando que a instituição já teve 15 mil. “São dados que podem levar a FURB à falência e isso vai deixar um passivo muito grande para o cidadão blumenauense pagar”, afirma.

“Minha sugestão é que se discuta um  modelo adequado. Hoje a instituição tem um patrimônio grande, que ajudaria a pagar s contas, o passivo e a aposentadoria dos servidores e professores,  mas daqui a alguns anos, se continuar este decréscimo de alunos, pode levar ao colapso financeiro”, foram algumas falas de Sylvio Zimmermann na rádio e na tribuna.

“Sei que posso ser criticado por uma postura desta forma, mas tenho que encarar este desafio, se não lá na frente vai ser um problema…”

E pensar que esta discussão começou por conta do curso de extensão sobre o Golpe de 2016, lançado há alguma semanas na Universidade. Alguns parlamentares cobraram explicações sobre este tipo de atividade e descambaram para as finanças da FURB, relembre aqui.

2 Comentário

  1. Os que defendem a manutenção da FURB do jeito que está estão preocupados com o vínculo empregatício que a FURB hoje garante a eles. São interesses particulares e não para o bem da comunidade!! Vamos pensar no bem comum, no bem maior, no bem de todos ! Privatizar a FURB certamente é um bom caminho!!

Deixe uma resposta