YouTube não vai barrar conteúdo postado por políticos

O Facebook já anunciou que conteúdos de figuras políticas (candidatos ou eleitos) não passarão pelas mesmas avaliações de publicação que o material convencional. Agora, o YouTube também anuncia que não vai aplicar filtros nos vídeos de políticos na plataforma.

No caso do Facebook, o motivo é manter transparente o que ela foi paga para rodar em publicidade política. No YouTube, da Google, a ideia é manter na íntegra o que essas pessoas com grande representatividade disseram publicamente.

As duas gigantes se manifestaram durante o evento político e econômico The Atlantic Festival.

Perguntas sobre políticos que violam as diretrizes das empresas aumentaram após a eleição do presidente Donald Trump, acusado de espalhar informações erradas ou incitar assédio no Twitter. O Facebook, o YouTube e o Twitter foram criticados por acadêmicos e jornalistas por não agirem mais contra figuras de alto nível que violam as regras da empresa.

O próprio YouTube ainda enfrenta críticas por não controlar direito o conteúdo questionável em sua plataforma. A empresa está trabalhando para reformular suas regras em torno do que é considerado conteúdo inadequado, e deve anunciar novas condições nos próximos meses.

Fonte: The Verge, Politico e CanalTech

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta