YouTube faz acordo com usuário que extorquia youtubers com denúncias falsas

Christopher Brady não pode mais denunciar vídeos publicados no YouTube que porventura estão infringindo direitos autorais. Até aí, nada de mais, não é mesmo? Mas tudo faz sentido depois que sabemos da história do rapaz: ele fazia denúncias falsas e extorquia youtubers para ganhar dinheiro em cima disso.

O acusado foi processado pela companhia, ainda em agosto deste ano, por atacar dois criadores de conteúdos sobre Minecraft, emitindo falsas declarações de direitos autorais e fazendo com que YouTube apagasse os conteúdos por suposta violação.

O foco de Brady eram os youtubers Kenzo e ObbyRaidz, que acabavam vendo seus vídeos sendo, de fato, excluídos pelo YouTube. Para que isso fosse evitado, o acusado acabava pressionando as vítimas a pagarem uma quantia de dinheiro para que isso não acontecesse. A plataforma tolera, no máximo, três avisos por violação de direitos autorais até que o vídeo seja derrubado.

O YouTube entrou com uma ação judicial contra Brady alegando que havia um esquema de extorsão por trás das atividades ilegais na plataforma. A empresa também diz que se esforçou bastante para detectar o problema sem prejudicar outros usuários. Apesar de ter chegado a um acordo com o sujeito, a companhia admite que não vai ser fácil encontrar e prevenir novos golpes que se utilizem dessa tática.

Fonte: The Verge e CanalTech

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta