Votação do parecer da CPI do BNDES é adiada para a próxima semana

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

A votação do parecer do deputado Altineu Côrtes (PL-RJ) na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES foi adiada para a próxima segunda-feira, 21, às 15 horas. O prazo limite para a conclusão dos trabalhos do colegiado se encerra na terça-feira, 22.

Para evitar que as atividades da CPI se percam em razão da não aprovação de um relatório final, o presidente da CPI, deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP), já apresentou um pedido de prorrogação de prazo, que ainda não foi deliberado pela presidência da Casa.

A reunião desta quinta-feira, 17, precisou ser encerrada após o início da Ordem do Dia no Plenário. Segundo o Regimento Interno, nada pode ser deliberado pelas comissões enquanto houver votações em Plenário.

“Lamentavelmente, parece que depois de seis meses de atividade algumas pessoas descobriram que fizemos um trabalho sério e que queremos um resultado para a sociedade brasileira”, disse Macris, referindo-se a trocas de integrantes do colegiado por decisão de algumas lideranças.

Partidos de oposição, como o PT e o Psol, obstruíram os trabalhos desde o início, requerendo a leitura da ata e, diante do início da Ordem do Dia do Plenário, cobrando o encerramento da reunião.

Indiciamentos

Na semana passada, ao apresentar a primeira versão do texto, Côrtes recomendou o indiciamento dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e de outras de 62 pessoas.

Ontem, no entanto, em busca de um acordo com a oposição para a aprovação do parecer, o relator voltou atrás e decidiu retirar os ex-presidentes e outras 9 pessoas da lista de indiciados.

Partidos de oposição argumentam que os pedidos de indiciamentos foram feitos sem provas e com base nos cargos públicos que os acusados ocuparam.

Fonte: Câmara dos Deputados

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta