Uma conversa com cara de reacertos

Foto: divulgação

Afastado temporariamente do cargo de governador, Carlos Moisés (PSL) tenta fazer o que não fez em um pouco mais de um ano e dez meses no mandato. Conversar, em especial, com a classe política.

Nesta quarta-feira, 04, a conversa foi com o presidente da Assembleia Legislativa, Júlio Garcia (PSD), alvo de pesadas críticas por parte de Moisés ao aceitar os pedidos de impeachment.

No encontro, o governador afastado entregou um documento pregando o diálogo e  “principalmente, a redução de distâncias com um propósito: a felicidade e o bem de todos que vivem em Santa Catarina.”

Cada vez mais sinto cheiro de pizza no ar neste segundo processo de impeachment, que analisa as denúncias extraídas  da CPI dos Respiradores. Me parece que está se formando um consenso que a volta de Moisés é melhor que manter uma governadora identificada com o bolsonarismo, pelo menos para o “status quo” político.

1 Comentário

  1. Vejo que nesse balaio de excrescências que se tornou a política catarinense o mais limpo e menos errado é nosso governador.

    Tentou governar sem o “toma lá da ca” dos políticos, sem o “puxa saquismo” e atendimento a interesses pouco “republicanos” de setores empresariais e a resposta foi esse golpe, que será revertido devido ao “golpe dentro do golpe”!

    Ainda que fossem utilizados critérios menos rígidos, poucos dos deputados seriam salvos.

    É passada a hora de SC retomar o rumo, isso vale para os 3 poderes, TCE e Ministério Público.

Deixe uma resposta